Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Zodiac

Apresentação

inj.: pó p/ diluição 18.000.000 UI emb. c/ 1 fr.-ampola + diluente

Indicações

No tratamento do carcinoma renal metastático e do melanoma metastático.

Contra-indicações

Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) está contra-indicado em pacientes com conhecida hipersensibilidade à IL-2r ou a algum componente da formulação e em pacientes com teste de estresse com o tálio ou função pulmonar alterados. Pacientes transplantados também devem ser excluídos. O reínicio do tratamento com IL-2r também está contra-indicado em pacientes que apresentaram os seguintes efeitos adversos no primeiro curso de terapêutica: Taquicardia ventricular sustentada; Distúrbios do ritmo cardíaco não controlados ou não responsivos à terapêutica; Dor torácica recorrente com alterações no eletrocardiograma sugestivas de angina ou infarto do miocárdio; Intubação requerida por mais de 72 horas; Tamponamento pericárdico; Insuficiência renal requerendo diálise por mais de 72 horas; Coma ou psicose tóxica presente por mais de 48 horas; Convulsões repetidas ou de difícil controle; Perfuração ou isquemia intestinal; Hemorragia gastrintestinal requerendo cirurgia.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Em um estudo com 255 pacientes com câncer renal metastático recebendo Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) isoladamente, constatou-se uma incidência de morte de 4% relacionados ao uso da droga. Na avaliação de um grupo de 270 pacientes com melanoma metastático, foi observada uma incidência de morte de 2% relacionados ao uso da droga. Demonstrou-se que a freqüência e severidade das reações adversas estão relacionadas à dose e esquema posológico empregados. A maioria das reações adversas são auto-limitantes e são usualmente, mas não invariavelmente, reversíveis com 2 a 3 dias de descontinuação da terapêutica. Exemplos de reações adversas com seqüelas permanentes incluem: infarto do miocárdio, perfuração/infarto intestinal e gangrena. As reações adversas severas mais freqüentemente relatadas incluem hipotensão, disfunção renal com oligúria/anúria, dispnéia ou congestão pulmonar e alterações no estado mental (ex.: letargia, sonolência, confusão e agitação). Outras sérias reações tóxicas incluem isquemia do miocárdio, miocardite, gangrena, insuficiência respiratória necessitando de intubação, hemorragia gastrintestinal requerendo cirurgia, perfuração intestinal/íleo, coma, convulsões, septicemia e comprometimento renal requerendo diálise. Os dados de reações adversas listados abaixo estão baseados em 525 pacientes (255 com câncer renal e 270 com melanoma metastático) tratados com o esquema posológico recomendado. Dados envolvendo órgão ou sistema nos quais as reações ocorreram em número significativo estão enumerados na tabela 1. TABELA 1 - OCORRÊNCIA DE REAÇÕES ADVERSAS EM ? 10% DOS PACIENTES (N=525) SISTEMA/ÓRGÃO % DE PACIENTES SISTEMA/ÓRGÃO % DE PACIENTES Gerais Distúrbios Metabólico e Nutricional Calafrio 52 Bilirrubinemia 40 Febre 29 Elevação da creatinina 33 Mal-estar 27 Edema periférico 28 Astenia 23 Elevação do SGOT 23 Infecção 13 Ganho de peso 16 Dor 12 Edema 15 Dor Abdominal 11 Acidose 12 Dilatação do Abdômen 10 Hipomagnesemia 12 Cardiovascular Hipocalemia 11 Hipotensão 71 Aumento da fosfatase alcalina 10 Taquicardia 23 Nervoso Vasodilatação 13 Confusão 34 Taquicardia supraventricular 12 Sonolência 22 Distúrbio cardiovasculara 11 Ansiedade 12 Arritmia 10 Vertigem 11 Digestivo Respiratório Diarréia 67 Dispnéia 43 Vômito 50 Distúrbio hepáticob 24 Náusea 35 Distúrbio respiratórioc 11 Estomatite 22 Aumento da tosse 11 Anorexia 20 Rinite 10 Náusea e Vômito 19 Pele e anexos Hematológico Erupção 42 Trombocitopenia 37 Prurido 24 Anemia 29 Dermatite esfoliativa 18 Leucopenia 16 Urogenital Oligúria 63 a Distúrbio Cardiovascular: flutuações na pressão sangüínea, alterações assintomáticas do ECG e insuficiência cardíaca. b Distúrbio Pulmonar: achados físicos associados com congestão pulmonar, estertores e roncos. c Distúrbio Respiratório: SARA, infiltrados pulmonares (achados pulmonares) e alterações inespecíficas pulmonares. TABELA 2 - REAÇÕES ADVERSAS COM RISCO DE VIDA (GRAU 4) (n=525) SISTEMA/ÓRGÃO Nº e (%) de SISTEMA/ÓRGÃO Nº e (%) de PACIENTES PACIENTES Gerais Distúrbio Metabólico e Nutricional Febre 5 (1%) Bilirrubinemia 13 (2%) Infecção 7 (1%) Elevação da creatinina 5 (1%) Septicemia 6 (1%) Elevação do SGOT 3 (1%) Cardiovascular Acidose 4 (1%) Hipotensão 15 (3%) Nervoso Taquicardia supraventricular 3 (1%) Confusão 5 (1%) Distúrbio cardiovasculara 7 (1%) Estupor 3 (1%) Infarto do miocárdio 7 (1%) Coma 8 (2%) Taquicardia ventricular 5 (1%) Psicose 7(1%) Parada cardíaca 4 (1%) Respiratório Digestivo Dispnéia 5 (1%) Diarréia 10 (2%) Distúrbio respiratório c 14 (3%) Vômito 7 (1%) Apnéia 5 (1%) Hematológico e linfático Urogenital Trombocitopenia 5 (1%) Oligúria 33 (6%) Distúrbios da coagulaçãob 4 (1%) Anúria 25 (5%) Insuficiência Renal Aguda 3 (1%) a Distúrbio cardiovascular: flutuações na pressão sangüínea b Distúrbio da coagulação: coagulopatia intravascular. c Distúrbio Respiratório: SARA, insuficiência respiratória, intubação. De acordo com a severidade das reações adversas, as doses (aldesleucina/interleucina-2r) devem ser suspensas e reiniciadas conforme parâmetros contidos na tabela 3. (continua na bula original)

Posologia

Para o tratamento de pacientes com carcinoma renal metastático e melanoma metastático, o Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) tem sido utilizada tanto por via endovenosa como por via subcutânea. Carcinoma Renal Metastático Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) em monoterapia ou associada com outras substâncias ativas, especialmente a interferona-alfa ou outras drogas quimioterápicas como, por exemplo, a 5-fluoruracila, tem apresentado resultados favoráveis no tratamento do carcinoma renal metastático. Diferentes protocolos para a terapêutica do carcinoma renal têm sido adotados por inúmeros investigadores. Dois desses protocolos são sugeridos abaixo, um em que Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) foi utilizado por via endovenosa (protocolo I) e o outro em que o medicamento foi utilizado por via subcutânea (protocolo II) e ambos apresentaram importantes taxas de respostas favoráveis, 30% e 49%, respectivamente. Protocolo I (R. Figlin - J. Clin. Onc. 10(3):414-421, 1992 - Uso endovenoso) Interleucina-2 recombinante (aldesleucina): 6 milhões U.I./m2/dia, sob infusão endovenosa contínua, nos dias 1 a 4 de cada semana de tratamento. Interferona alfa: 6 milhões U.I./m2/dia, via subcutânea ou intramuscular, nos dias 1 a 4 de cada semana de tratamento. Quatro semanas de tratamento completam um ciclo de terapêutica. Deve-se observar um intervalo de duas semanas de descanso entre os ciclos. Os ciclos de tratamento devem prosseguir, exceto se houver progressão da doença ou presença de toxicidade, até um máximo de 6 (seis) ciclos. Protocolo II (J. Atzpodien. Eur J. Cancer 29A (Suppl 5):S6-S8, 1993 - Uso subcutâneo) Interleucina-2 recombinante (aldesleucina): 20 milhões U.I./m2, via subcutânea, três vezes por semana, nas semanas 1 e 4; 5 milhões U.I./m2, via subcutânea, três vezes por semana, nas semanas 2 e 3. Interferona alfa: 6 milhões U.I./m2, via subcutânea, uma vez por semana, nas semanas 1 e 4; três vezes por semana, nas semanas 2 e 3. Nove (9) milhões U.I./m2, via subcutânea, três vezes por semana, nas semanas 5 a 8. 5-fluoruracila: 750 mg/m2, por via endovenosa em bolus- uma vez por semana, semanas 5 a 8. Esses ciclos de tratamento devem ser repetidos a cada 2 meses, exceto se houver progressão da doença. Melanoma Metastático A interleucina-2 recombinante Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r), associada com outras substâncias ativas, especialmente a interferona-alfa ou outras drogas quimioterápicas como, por exemplo, a cisplatina, tem apresentado resultados favoráveis no tratamento do melanoma metastático. Diferentes protocolos para a terapêutica do melanoma têm sido adotados por muitos pesquisadores. Um desses protocolos é sugerido abaixo, onde Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) foi usado via endovenosa na fase inicial e por via subcutânea nos ciclos de manutenção. Este protocolo (Khayat D. et al. - J. Clin. Oncol., 11:2173-2180, 1993) ofereceu cerca de 54% de repostas favoráveis. Segue abaixo as tabelas realizadas pelo grupo do professor Khayat: (continua na bula original)

Informações

Foi demonstrado que o Proleukin (aldesleucina/interleucina-2r) possui uma atividade biológica semelhante a interleucina-2 humana natural. Os estudos demonstraram que o produto atua como regulador da resposta imunológica. Entre as suas propriedades encontram-se: Aumento da proliferação dos linfócitos T-helper; Aumento da mitogênese de linfócitos e estimulação do crescimento a longo prazo de linhagens de células humanas dependentes de interleucina-2; Indução da atividade de células assassinas (ativadas por linfocina - LAK e naturais - NK); Indução da produção de interferona-gama.

linhagens de células humanas dependentes de interleucina-2; Indução da atividade de células assassinas (ativadas por linfocina - LAK e naturais - NK); Indução da produção de interferona-gama.