Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Bergamo

Apresentação

Sarfiram 25% emb. c/ 1 e 50 fr. de vidro c/ 100 ml.

Indicações

No tratamento e profilaxia da escabiose, pediculose e ftiríase.

Contra-indicações

Sarfiram (monossulfiram) é contra-indicado para pacientes que já tenham apresentado resposta idiossincrática à sua aplicação.

Reações adversas / Efeitos colaterais

São raras as reações adversas decorrentes do uso, porém pode ocorrer tontura, cefaléia, fadiga e dermatoses. Interferência em exames laboratoriais: Ainda não há relatos de interações laboratoriais.

Posologia

Tratamento da escabiose: - Antes da aplicação, diluir uma parte da solução em duas partes de água (adultos) ou três partes de água (crianças). - O paciente deve tomar banho normalmente com água e sabonete comum e, após enxaguar e secar totalmente, aplicar a solução diluída nas áreas afetadas, deixando-a secar (mais ou menos 10 minutos). Em alguns casos, este procedimento pode ser repetido por mais 2 ou 3 dias consecutivos, se necessário, a critério médico. Tratamento da pediculose e ftiríase: Lavar a área afetada com água e sabonete comum. Aplicar com esponja a solução diluída e depois de 8 horas, lavar a área infestada para remover o líquido aplicado. Em seguida, passar o pente fino para remover os parasitas. Após 7 dias, repetir o tratamento, a critério médico. - Deve-se tratar todos os familiares, para se evitar a transmissão dos parasitas.

Informações

O mecanismo exato de ação de monossulfiram não é conhecido, porém admite-se que a droga é reduzida ao entrar em contato com a pele, formando ácido sulfídrico, que por sua vez é oxidado à ácido pentatiônico. O ácido pentatiônico formado é absorvido através da cutícula dos ectoparasitas, vindo a causar transtornos metabólicos e sobre o sistema nervoso, provocando assim, paralisia e morte dos mesmos.

formando ácido sulfídrico, que por sua vez é oxidado à ácido pentatiônico. O ácido pentatiônico formado é absorvido através da cutícula dos ectoparasitas, vindo a causar transtornos metabólicos e sobre o sistema nervoso, provocando assim, paralisia e morte dos mesmos.