Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Sanofi

Apresentação

compr.: caixa c/ 20 compr. de 50 mg. sol. inj. 50 mg: caixa c/ 6 amp. de 2 ml. Gotas pediátricas: fr. conta-gota c/ 30 ml. 24 gotass/ml, 0,5 mg/gota.

Indicações

Antiemético e antinauseoso, eletivamente durante terapia antineoplástica.

Contra-indicações

O produto é contra-indicado em pacientes que tenham apresentado anteriormente quadro de discinesia tardia com o uso de neurolépticos. Contra-indicado aos pacientes hipersensíveis às benzamidas substituídas.

Advertências

Em razão da eliminação urinária do produto, deve-se diminuir a posologia e promover tratamentos descontinuados em presença de insuficiência renal grave. A duração dos tratamentos não deve ultrapassar uma semana. Não é aconselhável o uso de bebidas alcoólicas concomitantemente com alisaprida. A alisaprida não é recomendada para pacientes epiléticos, pois assim como as benzamidas pode diminuir o limiar epilético. Como com outros neurolépticos, a síndrome neuroléptica maligna caracterizada por hipertermia, problemas extrapiramidais, instabilidade autonômica nervosa e elevação da CPK podem ocorrer. Portanto, deve-se ter cuidado caso ocorra febre, um dos sintomas da síndrome neuroléptica maligna, o uso da alisaprida deve ser descontinuado caso haja suspeita da síndrome neuroléptica maligna.

Uso na gravidez

Embora estudos realizados em animais não tenham demonstrado nenhum efeito teratogênico, como medida de precaução e na ausência de estudos epidemiológicos, Superan não deve ser prescrito durante a gravidez. Não existem dados disponíveis em relação a excreção no leite materno, portanto alizaprida deve ser usado com cautela durante a lactação.

Interações medicamentosas

É contra-indicado o uso concomitante com levodopa devido ao antagonismo recíproco da levodopa e neurolépticos. O uso de álcool potencializa o efeito sedativo da alizaprida. Os depressores do sistema nervoso central (neurolépticos, derivados da morfina, hipnóticos, anxiolíticos, antihistamínicos sedativos H1, antidepressores sedativos, barbitúricos, clonidina e relacionados) usados concomitantemente a alizaprida potencializam os efeitos sedativos depressores do sistema nervoso central. A administração concomitante com anticolinérgicos pode prejudicar os efeitos da alizaprida.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Os seguintes efeitos adversos foram observados , particularmente quando usadas altas doses Sistema nervoso central e problemas psiquiátricos · Sintomas extrapiramidais podem ocorrer, particularmente em crianças e adultos jovens, mesmo após uma ingestão única da droga (distonia aguda e discinesia, síndrome parkinsoniana, acatisia). Geralmente essas reações regridem espontaneamente e definitivamente após a descontinuação do tratamento. · Discinesia tardia em caso de tratamento prolongado · Sonolência, vertigem, cefaléia, insônia. Problemas gastrintestinais · Diarréia Problemas endócrinos · Amenorréia, galactorréia, ginecomastia, hiperprolactinemia Problemas cardiovasculares · Hipotensão ortostática especialmente em altas doses Gerais · Reações alérgicas incluindo anafilaxia. · Após administração IV, tem sido relatado rubor vasomotor (transpiração abundante e/ou sensação de queimação cutânea), que se resolve rapidamente. O paciente deve ser informado de que não se trata de um problema grave e portanto, não requer nenhum tratamento específico.

Posologia

A posologia deve ser ajustada pelo médico em função da necessidade e da resposta do paciente ao produto. As doses diárias médias são apresentadas abaixo. Estas doses podem ser divididas em 3 a 4 tomadas, segundo critério médico. ADULTOS Solução injetável: 100 a 200 mg (2 a 4 ampolas) ao dia, por via IM ou IV. Dose média: 3 ampolas ao dia. CRIANÇAS Solução injetável: nos casos agudos, começar com 25 mg (1/2 ampola) por via IM ou IV lenta, prosseguindo com a forma gotas assim que possível. A solução injetável pode ser empregada por via IM ou IV. No caso de aplicação IV, a administração deve ser feita de forma lenta.

Superdosagem

A superdosagem pode se manifestar por distúrbios extrapiramidais e sonolência. O tratamento pode consistir de relaxantes musculares (ex.: benzodiazepínicos). Em adultos pode ser utilizado relaxante muscular (ex.: benzodiazepínicos) e/ou drogas antiparkinsonianas anticolinérgicas.

Informações

Superan encerra como princípio ativo a alizaprida, fármaco pertencente à família das benzamidas substituídas e possuidor de potente ação antiemética e antinauseosa. Estudos de farmacologia animal demonstraram que a alizaprida age seletivamente por inibição dos receptores dopaminérgicos da zona quimiorreceptora ou zona de gatilho, responsável pelo desencadeamento das náuseas e vômitos. Diversos estudos científicos confirmaram a atividade antiemética da alizaprida no homem, tanto na pediatria e na medicina interna, quanto na anestesiologia e na quimioterapia anticancerosa. A alizaprida apresenta bom índice de absorção; a biodisponibilidade varia segundo as formas farmacêuticas de 70 a 87%. A meia-vida de eliminação é da ordem de 3 horas. A eliminação é essencialmente renal, sob a forma de droga inalterada. A passagem placentária estudada no coelho mostrouse muito reduzida (0,004%). A passagem pela barreira hemato-encefálica é fraca e limitada. Não são conhecidos dados sobre a excreção da alizaprida pelo leite materno.

gem placentária estudada no coelho mostrouse muito reduzida (0,004%). A passagem pela barreira hemato-encefálica é fraca e limitada. Não são conhecidos dados sobre a excreção da alizaprida pelo leite materno.