Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

União Química

Apresentação

Cápsulas 500 mg: embalagem com 21 cápsulas.
Pó para suspensão oral 250 mg/5mL: embalagem contendo pó para 150 mL da suspensão reconstituída + copo medida.
Pó para suspensão oral 500 mg/5mL: embalagem contendo pó para 150 mL da suspensão reconstituída + copo medida.

VIA ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO:
Cápsula
Cada cápsula contém:
amoxicilina............................................................................................................500 mg
(na forma de amoxicilina tri-hidratada)
Excipientes: estearato de magnésio, laurilsulfato de sódio e croscarmelose sódica.

Suspensão Oral
Cada mL da suspensão oral de 250 mg/5 mL contém, após reconstituição:
amoxicilina..............................................................................................................50 mg
(na forma de amoxicilina tri-hidratada)
Excipientes: aromas de baunilha e de cereja, carmelose sódica, corante vermelho, corante eritrosina, metilparabeno, propilparabeno, povidona, dióxido de silício coloidal, sacarina sódica, dimeticona, benzoato de sódio, citrato de sódio, sacarose.

Cada mL da suspensão oral de 500 mg/5 mL contém, após reconstituição:
amoxicilina............................................................................................................100 mg
(na forma de amoxicilina tri-hidratada)
Excipientes: aromas de baunilha e de cereja, carmelose sódica, corante eritrosina, corante vermelho, metilparabeno, propilparabeno, povidona, dióxido de silício coloidal, sacarina sódica, dimeticona, benzoato de sódio, citrato de sódio, sacarose.

Indicações

Uni Amox é um antibiótico de amplo espectro indicado para o tratamento de infecções bacterianas causadas por germes sensíveis a ação da amoxicilina. Também pode ser usado para prevenir infecções.

Cepas dos seguintes microrganismos geralmente são sensíveis à ação bactericida de amoxicilina in vitro:

Gram-positivos
Aeróbios: Streptococcus faecalis, Streptococcus pneumoniae, Streptococcus pyogenes, Streptococcus viridans, Staphylococcus aureus sensível a penicilina, espécies de Corynebacterium, Bacillus anthracis, Listeria monocytogenes.
Anaeróbios: espécies de Clostridium.

Gram-negativos
Aeróbios: Haemophilus influenzae, Escherichia coli, Proteus mirabilis, espécies de Salmonella, espécies de Shigella, Bordetella pertussis, espécies de Brucella, Neisseria gonorrhoeae, Neisseria meningitidis, Pasteurella séptica, Vibrio cholerae, Helicobacter pylori.
A amoxicilina é suscetível à degradação por betalactamases. Portanto, o espectro de atividade de amoxicilina não inclui os microrganismos que produzem essas enzimas, entre eles o Staphylococcus resistente a amoxicilina e todas as cepas de Pseudomonas, Klebsiella e Enterobacter.

Contra-indicações

A amoxicilina é uma penicilina e não deve ser administrada a pacientes com histórico de hipersensibilidade a antibióticos betalactâmicos (por exemplo, penicilinas e cefalosporinas)..

Advertências

Antes de iniciar o tratamento com Uni Amox, deve-se fazer uma investigação cuidadosa sobre as reações prévias de hipersensibilidade a penicilinas ou cefalosporinas. Foram relatadas reações de hipersensibilidade (anafilactoides) graves e ocasionalmente fatais em pacientes em tratamento com penicilinas. Essas reações são mais prováveis em indivíduos com histórico de hipersensibilidade a antibióticos betalactâmicos.
A amoxicilina deve ser evitada se houver suspeita de mononucleose infecciosa, já que em pacientes com essa doença a ocorrência de rashs eritematosos (mobiliformes) tem sido associada a esse fármaco, aparecendo em seguida a seu uso.
O tratamento prolongado ocasionalmente também pode resultar em supercrescimento de microrganismos não suscetíveis.
A dose deve ser ajustada em pacientes com insuficiência renal (veja Posologia).
Em pacientes com redução do débito urinário, muito raramente foi observada cristalúria, predominantemente após terapia parenteral. Durante a administração de altas doses de amoxicilina, é aconselhável manter ingestão hídrica e débito urinário adequados, a fim de reduzir a possibilidade de cristalúria por amoxicilina (veja Superdosagem).
Uni Amox suspensão oral contém benzoato de sódio.

Uso na gravidez

A segurança deste produto para uso na gravidez não foi estabelecida por estudos controlados em mulheres grávidas. Estudos de reprodução foram realizados em camundongos e ratos com doses de amoxicilina até dez vezes a dose humana; não revelaram nenhuma evidência de que o medicamento tenha causado danos na fertilidade ou prejudicado os fetos. Sendo necessário o tratamento com antibióticos durante a gravidez, Uni Amox pode ser considerado apropriado quando os benefícios potenciais justificarem os riscos potenciais associados ao tratamento.
Categoria B de risco na gravidez.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
A amoxicilina pode ser administrada durante a lactação. Com exceção do risco de sensibilidade associada à excreção de quantidades mínimas do medicamento no leite materno, não existem efeitos nocivos conhecidos para o bebê lactente.
Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco
As recomendações especiais referem-se à posologia (veja Posologia).

Interações medicamentosas

A probenecida reduz a secreção tubular renal da amoxicilina. O uso concomitante com amoxicilina pode resultar em níveis aumentados e prolongados no sangue. Em comum com outros antibióticos, Uni Amox pode afetar a flora intestinal, levando a uma menor reabsorção de estrógenos, e reduzir a eficácia de contraceptivos orais combinados.
A administração concomitante de alopurinol durante o tratamento com amoxicilina pode aumentar a probabilidade de reações alérgicas da pele.
O prolongamento do tempo de protrombina nos pacientes que tomam amoxicilina foi raramente relatado.
Deve-se fazer monitoramento apropriado quando forem prescritos anticoagulantes para uso simultâneo. Tetraciclina e outras drogas bacteriostáticas podem interferir nos efeitos bactericidas da amoxicilina. Recomenda-se que, para se realizarem testes para verificação da presença de glicose na urina durante o tratamento com amoxicilina, sejam usados métodos de glicose oxidase enzimática. Devido às altas concentrações urinárias de amoxicilina, leituras falso-positivas são comuns com métodos químicos.

Reações adversas / Efeitos colaterais

As reações adversas estão organizadas segundo a frequência e os sistemas orgânicos. Muito comum (> 1/10), comum (> 1/100, < 1/10), incomum (> 1/1.000, < 1/100), rara (> 1/10.000, < 1/1.000) e muito rara (< 1/10.000).

Os efeitos colaterais abaixo, em sua maioria, não são exclusivos do uso de amoxicilina e podem ocorrer com o uso de outras penicilinas.

Distúrbios do sangue e do sistema linfático
Muito raros: leucopenia reversível (inclusive neutropenia grave ou agranulocitose), trombocitopenia reversível e anemia hemolítica, prolongamento do tempo de sangramento e tempo de protrombina.

Distúrbios do sistema imune
Muito raro: como acontece com outros antibióticos, reações alérgicas graves, inclusive edema angioneurótico, anafilaxia, vasculite por hipersensibilidade e doença do soro.
Se uma reação de hipersensibilidade for reportada, o tratamento deve ser descontinuado.

Distúrbios do sistema nervoso
Muito raras: hipercinesia, vertigem e convulsões. As convulsões podem ocorrer em pacientes com função renal prejudicada ou que recebam altas dosagens.
Infecções e infestações
Muito rara: candidíase mucocutânea.

Distúrbios gastrintestinais
Comuns: diarreia e náusea.
Incomum: vômito.
Muito raros: colite associada a antibióticos (incluindo colite pseudomembranosa e colite hemorrágica), língua pilosa negra.
Tem havido relatos de descoloração superficial dos dentes em crianças. Uma boa higiene oral pode ajudar a prevenir esse efeito, facilmente removível pela escovação (somente para suspensão oral).

Distúrbios hepatobiliares
Muito raros: hepatite e icterícia colestásica. Observou-se aumento moderado de AST ou ALT, no entanto o significado dessa alteração ainda não está claro.

Distúrbios de pele e tecidos subcutâneos
Comum: rash cutâneo.
Incomuns: urticária e prurido.
Muito raros: reações cutâneas com eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson, necrose epidérmica tóxica, dermatite bolhosa e esfoliativa e exantema pustuloso generalizado agudo.

Distúrbios renais e do trato urinário
Muito raros: nefrite intersticial e cristalúria (veja Superdosagem).
A incidência desses efeitos adversos foi determinada com base em estudos clínicos que envolveram aproximadamente 6.000 pacientes adultos e pediátricos que faziam uso de amoxicilina.

Posologia

Dose para adultos (incluindo pacientes idosos)
Dose-padrão para adultos: 250 mg três vezes ao dia, aumentada para 500 mg três vezes ao dia nas infecções mais graves.

Tratamento com dose alta (dose oral máxima recomendada de 6 g ao dia, dividida):
A dose de 3 g duas vezes ao dia é recomendada em casos apropriados para o tratamento de infecção purulenta grave ou recorrente do trato respiratório.

Tratamento de curta duração
Infecção do trato urinário aguda simples: duas doses de 3 g, com intervalo de 10-12 horas entre as doses.
Abscesso dentário: duas doses de 3 g, com intervalo de 8 horas entre as doses.
Gonorreia: dose única de 3 g.

Erradicação de Helicobacter em úlcera péptica (duodenal e gástrica)

Uni Amox é recomendado no esquema de duas vezes ao dia em associação com inibidor da bomba de próton e agentes antimicrobianos, conforme detalhado a seguir:
− omeprazol 40 mg diários, amoxicilina 1 g duas vezes ao dia, claritromicina 500 mg duas vezes ao dia, por 7 dias; ou
− omeprazol 40 mg diários, amoxicilina de 750 mg a 1 g duas vezes ao dia, metronidazol 400 mg três vezes ao dia, por 7 dias.

Dose para crianças (até 10 anos de idade)
Dose-padrão para crianças: 125 mg três vezes ao dia, aumentada para 250 mg três vezes ao dia nas infecções mais graves.

Pacientes com insuficiência renal
Na insuficiência renal, a excreção do antibiótico será retardada e, dependendo do grau de insuficiência, pode ser necessário reduzir a dose diária total, de acordo com o seguinte esquema:

Adultos e crianças acima de 40 kg
− Insuficiência leve (clearance de creatinina > 30 mL/min) – nenhuma alteração na dose.
− Insuficiência moderada (clearance de creatinina 10-30 mL/min) – máximo de 500 mg duas vezes ao dia.
− Insuficiência grave (clearance de creatinina < 10 mL/min) – máximo de 500 mg/dia.

Crianças abaixo de 40 kg
− Insuficiência leve (clearance de creatinina > 30 mL/min) – nenhuma alteração na dose.
− Insuficiência moderada (clearance de creatinina 10-30 mL/min) – 15 mg/kg duas vezes ao dia (máximo de 500 mg duas vezes ao dia).
− Insuficiência grave (clearance de creatinina < 10 mL/min) – 15 mg/kg uma vez ao dia (máximo de 500 mg).

Pacientes que recebem diálise peritoneal
Mesma posologia indicada para paciente com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 10 mL/min). A amoxicilina não é removida por diálise peritoneal.

Pacientes que recebem hemodiálise
Mesma posologia indicada para pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 10 mL/min).
A amoxicilina é removida da circulação por hemodiálise. Portanto, uma dose adicional (500 mg para adultos ou 15 mg/kg para crianças com menos de 40 kg) pode ser administrada durante a diálise e ao fim de cada diálise.
A terapia parenteral é indicada nos casos em que a via oral é considerada inadequada e, particularmente, para o tratamento urgente de infecções graves.
Na insuficiência renal, a excreção do antibiótico será retardada e, dependendo do grau de insuficiência, pode ser necessário reduzir a dose diária total.

Superdosagem

É pouco provável que, em caso de superdosagem de amoxicilina, ocorram problemas. Se observados, efeitos gastrintestinais como náusea, vômito e diarreia podem ter relação evidente com o medicamento e devem ser tratados sintomaticamente, com atenção ao equilíbrio hidroeletrolítico.
Foi observada a possibilidade de cristalúria causada por amoxicilina, doença que em alguns casos pode levar à insuficiência renal. A amoxicilina pode ser removida da circulação por hemodiálise.

Características farmacológicas

Propriedades farmacodinâmicas
A amoxicilina – quimicamente, D-(-)-alfa-amino p-hidroxibenzil penicilina –, uma aminopenicilina semi-sintética do grupo beta-lactâmico de antibióticos. Tem amplo espectro de atividade antibacteriana, que abrange microrganismos gram-positivos e gram-negativos, agindo através da inibição da biossíntese do mucopeptídeo da parede celular.
Amoxicilina age rapidamente como agente bactericida e possui o perfil de segurança de uma penicilina.

Propriedades farmacocinéticas
Absorção
Amoxicilina é bem absorvido. A administração oral na dosagem-padrão produz, geralmente, altos níveis plasmáticos, independentemente do momento da ingestão de alimentos. Amoxicilina apresenta uma boa penetração nas secreções bronquiais e elevadas concentrações urinárias na forma de antibiótico inalterado.

Distribuição
A amoxicilina não é altamente ligada a proteínas plasmáticas; tal ligação ocorre com aproximadamente 18% do total da droga. A amoxicilina se difunde rapidamente na maioria dos tecidos e líquidos corporais, com exceção do cérebro e da medula espinhal. A inflamação geralmente aumenta a permeabilidade das meninges às penicilinas, e isso pode ser aplicado à amoxicilina.

Excreção
A meia-vida de eliminação é de aproximadamente 1 hora. A principal via de eliminação da amoxicilina são os rins. Aproximadamente 60-70% de amoxicilina são excretados inalterados pela urina durante as primeiras 6 horas após a administração de uma dose-padrão. Amoxicilina também é parcialmente eliminado pela urina como ácido penicilóico inativo, em quantidades equivalentes a 10-25% da dose inicial.
A administração simultânea de probenecida retarda a excreção de amoxicilina.

Resultados de eficácia

Amoxicilina demonstrou eficácia clínica em 90% dos pacientes com otite média aguda quando utilizado nas doses de 40-45 mg/kg/dia.

Referência: 1) GARRISON, GD, et al. High-dose versus standard-dose amoxicillin for acute otitis media. Ann Pharmacother, 38(1): 15-19, 2004.

Modo de usar

Suspensão oral
Para preparar a suspensão, agite primeiramente o frasco para dispersar o pó, coloque água filtrada até a marca indicada no rótulo e agite bem o frasco até que o pó se misture totalmente com a água. Verifique se a mistura atingiu a marca.
Após o preparo a suspensão é estável por 7 dias em temperatura ambiente ou 14 dias sob refrigeração.
Agite a suspensão antes de usar.

Armazenagem

Manter o produto em sua embalagem original e conservar em temperatura ambiente (entre 15° e 30ºC) e proteger da umidade.
Suspensão Oral: após preparo manter por 7 dias em temperatura ambiente ou 14 dias sob refrigeração.

O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho).

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA

Número do lote, data da fabricação e data da validade: vide cartucho

Dizeres legais

Registro MS – 1.0497.0008

UNIÃO QUÍMICA FARMACÊUTICA NACIONAL S/A
Rua Cel. Luiz Tenório de Brito, 90 – Embu-Guaçu – SP
CEP 06900-000 SAC 0800 11 1559
CNPJ 60.665.981/0001-18 – Indústria Brasileira
Farm. Resp.: Vanessa Cristina Scaldelai Stierle – CRF-SP n° 15895
Farm Resp.: Daniela Batista de Paiva - CRF-MG n° 20617

Fabricado na unidade fabril:
Rua José Pedro de Souza, 105 Pouso Alegre – MG
CEP 37550-000 CNPJ 60.665.981/0005-41
Farm Resp.: Daniela Batista de Paiva - CRF-MG n° 20617  

Bula para o Paciente

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
Uni Amox contém uma penicilina chamada amoxicilina. A amoxicilina pertence ao grupo dos antibióticos penicilânicos. Uni Amox é usado para o tratamento de uma gama de infecções causadas por bactérias. Podem ser infecções de pulmões (pneumonia e bronquite), amígdalas (amigdalite), seios da face (sinusite), trato urinário e genital, pele e mucosas. Uni Amox atua destruindo as bactérias que causam essas infecções.

POR QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?
Uni Amox é um antibiótico eficaz contra uma grande variedade de bactérias, sendo indicado para o tratamento de infecções bacterianas causadas por germes sensíveis à ação da amoxicilina. Entretanto, seu médico pode receitar este medicamento para outro uso. Se desejar saber mais informações, pergunte a seu médico. Uni Amox também pode ser usado para prevenir infecções.

RISCOS DO MEDICAMENTO
Contraindicações
Este medicamento não pode ser administrado nem ingerido por pessoas alérgicas a antibióticos betalactâmicos (como penicilinas e cefalosporinas). Se você já teve uma reação alérgica (erupção cutânea, por exemplo) após tomar um antibiótico, deve conversar com seu médico antes de tomar Uni Amox.

Advertências e precauções
Uni Amox suspensão oral de 250 mg/5 mL e 500 mg/5 mL contém benzoato de sódio.
Se você desenvolver uma erupção cutânea após tomar Uni Amox, não use mais o medicamento e fale com o médico imediatamente.
Se você já teve febre glandular (mononucleose) e receber uma prescrição, informe seu médico dessa doença prévia antes de tomar o medicamento.
Se você teve problemas hepáticos (no fígado) ou renais (nos rins), informe isso a seu médico antes de tomar o medicamento. Pode ser necessário modificar a dose ou usar um medicamento alternativo.
Informe seu médico caso tenha uma doença chamada fenilcetonúria.
O uso prolongado ocasionalmente também pode resultar em supercrescimento de microrganismos que sejam resistentes a Uni Amox.

Gravidez e amamentação
Uni Amox pode ser usado na gravidez desde que os benefícios potenciais sejam maiores que os riscos potenciais associados ao tratamento. Informe seu médico se você estiver grávida ou achar que está grávida.
Você não deve tomar este medicamento durante a gravidez, exceto se recomendado pelo seu médico. Você pode amamentar seu bebê enquanto tomar amoxicilina.

Interações medicamentosas
Alguns medicamentos podem causar efeitos indesejáveis se você os ingerir ao mesmo tempo em que está em tratamento com Uni Amox. Portanto, se estiver tomando os medicamentos abaixo, certifique-se de que seu médico está ciente disso:
− medicamentos usados para o tratamento de gota (probenecida ou alopurinol);
− outros antibióticos;
− pílulas anticoncepcionais (como ocorre quando você toma outros antibióticos, talvez sejam necessárias precauções contraceptivas adicionais);
− anticoagulantes.
A alimentação não interfere na ação, que pode ser ingerido com alimentos.

Esse medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Informe seu médico se você faz uso de outro medicamento.
Não há contraindicação relativa a faixas etárias.
Informe seu médico o aparecimento de reações indesejáveis.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.
Atenção diabéticos: a suspensão contém açúcar.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Aspecto físico
Cápsula: cápsula de corpo cinza e tampa bordô, contendo pó branco.
Suspensão: pó de coloração rosa.

Modo de uso
Siga as orientações de seu médico sobre como e quando tomar este medicamento. O médico irá decidir a quantidade que você precisa diariamente e por quanto tempo deverá usar o medicamento.
Leia esta bula com cautela. Se tiver alguma dúvida, pergunte a seu médico.
É recomendável que você tome o medicamento junto com a alimentação, mas se não tomar nas refeições ele continuará sendo eficaz.
Continue tomando seu medicamento até que o tratamento prescrito pelo médico termine. Não pare somente porque já se sente melhor. Se esquecer de uma dose, tome-a assim que se lembrar, mas continue com o horário normal das demais doses. Só não tome duas doses com um intervalo igual ou menor que 1 hora entre uma e outra.

Suspensão oral
Para preparar a suspensão, agite primeiramente o frasco para dispersar o pó, coloque água filtrada até a marca indicada no rótulo e agite bem o frasco até que o pó se misture totalmente com a água. Verifique se a mistura atingiu a marca.
Após o preparo a suspensão é estável por 7 dias em temperatura ambiente ou 14 dias sob refrigeração.

Agite a suspensão antes de usar.
Sempre utilize o copo-medida que acompanha o produto para medir o volume prescrito pelo médico, na tomada das doses.

Cápsulas
As cápsulas devem ser ingeridas inteiras com água. Não as mastigue.

Posologia
Dose para adultos (incluindo idosos)
Dose-padrão para adultos: 250 mg três vezes ao dia, aumentada para 500 mg três vezes ao dia nas infecções mais graves.

Tratamento com dose alta (dose oral máxima recomendada de 6 g ao dia, dividida)
A dose de 3 g duas vezes ao dia é recomendada em casos apropriados para o tratamento de infecção purulenta grave ou recorrente do trato respiratório.

Tratamento de curta duração
Infecção do trato urinário aguda simples: duas doses de 3 g, com intervalo de 10-12 horas entre as doses.
Abscesso dentário: duas doses de 3 g, com intervalo de 8 horas entre as doses.
Gonorreia: dose única de 3 g.
Erradicação de Helicobacter em úlcera péptica (duodenal e gástrica)

Amoxicilina é recomendado no esquema de duas vezes ao dia em associação com inibidor da bomba de próton e agentes antimicrobianos, conforme detalhado a seguir:
− omeprazol 40 mg diários, amoxicilina 1 g duas vezes ao dia, claritromicina 500 mg duas vezes ao dia, por sete dias; ou
− omeprazol 40 mg diários, amoxicilina de 750 mg a 1 g duas vezes ao dia, metronidazol 400 mg três vezes ao dia, por 7 dias.

Dose para crianças (até 10 anos de idade)
Dose-padrão para crianças: 125 mg três vezes ao dia, aumentada para 250 mg três vezes ao dia nas infecções mais graves.

Pacientes com insuficiência renal
Na insuficiência renal, a excreção do antibiótico será retardada e, dependendo do grau de insuficiência, pode ser necessário reduzir a dose diária total, de acordo com o seguinte esquema:

Adultos e crianças acima de 40 kg
− Insuficiência leve (clearance de creatinina > 30 mL/min) – nenhuma alteração na dose.
− Insuficiência moderada (clearance de creatinina 10-30 mL/min) – máximo de 500 mg duas vezes ao dia.
− Insuficiência grave (clearance de creatinina < 10 mL/min) – máximo de 500 mg/dia.

Crianças abaixo de 40 kg
− Insuficiência leve (clearance de creatinina > 30 mL/min) – nenhuma alteração na dose.
− Insuficiência moderada (clearance de creatinina 10-30 mL/min) – 15 mg/kg duas vezes ao dia (máximo de 500 mg duas vezes ao dia).
− Insuficiência grave (clearance de creatinina < 10 mL/min) – 15 mg/kg uma vez ao dia (máximo de 500 mg).

Pacientes que recebem diálise peritoneal
Mesma posologia indicada para paciente com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 10 mL/min). A amoxicilina não é removida por diálise peritoneal.

Pacientes que recebem hemodiálise
Mesma posologia indicada para pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 10 mL/min).
A amoxicilina é removida da circulação por hemodiálise. Portanto, uma dose adicional (500 mg para adultos ou 15 mg/kg para crianças abaixo de 40 kg) pode ser administrada durante a diálise e ao fim de cada diálise.
A terapia parenteral é indicada nos casos em que a via oral é considerada inadequada e particularmente para tratamentos urgentes de infecções graves.
Na insuficiência renal, a excreção do antibiótico será retardada e, dependendo do grau de insuficiência, pode ser necessário reduzir a dose diária total.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.
As cápsulas não devem ser abertas ou mastigadas.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR?
Avise seu médico o mais cedo possível se você não se sentir bem enquanto usar Uni Amox.
Como todo medicamento, Uni Amox pode provocar reações adversas, porém isso não ocorre com todas as pessoas. Os efeitos colaterais observados com Uni Amox geralmente são leves. Alguns pacientes podem apresentar diarreia (várias evacuações amolecidas por dia). Ocasionalmente o produto pode causar indigestão ou fazer você se sentir enjoado (a) e, algumas vezes, vomitar. Se isso acontecer, saiba que esses sintomas normalmente são leves e com frequência podem ser evitados tomando-se o medicamento no início das refeições. Se esses sintomas continuarem ou se tornarem graves, consulte o médico.
Uma descoloração superficial dos dentes, em crianças, foi relatada. Uma boa higiene oral pode ajudar a prevenir essa descoloração, pois o produto em geral pode ser removido com a escovação (apenas para a suspensão).

Muito raramente, Uni Amox pode estar associado a efeitos colaterais mais graves, como os descritos a seguir:
− Sinais súbitos de alergia, como erupções cutâneas, prurido ou urticária; inchaço de face, lábios, língua ou outra parte do corpo; falta de ar, respiração ofegante ou problemas para respirar. Se esses sintomas ocorrerem, pare de usar Uni Amox e procure socorro médico o mais rápido possível.
− Sua língua pode mudar de cor, tornando-se amarela, marrom ou preta, ou pode lhe parecer que ela tem pelos.
− Reações cutâneas, possivelmente na forma de espinhas vermelhas, que podem provocar coceira e ser similares às erupções cutâneas decorrentes de sarampo. Nas manchas podem-se formar bolhas ou marcas protuberantes, vermelhas e com centros descorados. A pele, as manchas ou as bolhas podem sangrar, descamar ou descascar. Esses sintomas podem ser acompanhados de febre.
− Efeitos relacionados ao fígado. Esses sintomas podem se manifestar como náusea, vômito, perda de apetite, uma sensação geral de mal-estar, febre, prurido, amarelamento da pele e dos olhos e escurecimento da urina. Tais efeitos relacionados ao fígado podem ocorrer até dois meses após o início do tratamento com o medicamento.
− Febre, dor nas articulações, erupções cutâneas, inchaço dos gânglios linfáticos.
− Efeitos relacionados ao sistema digestivo. Um exemplo é a diarreia grave, que também pode mostrar a presença de sangue e pode ser acompanhada de cólicas abdominais.
− Infecção micótica (por fungos). Normalmente afeta as partes íntimas ou a boca. Na área genital pode causar coceira e queimação, com a presença de uma fina camada branca; na boca, por dentro ou na língua, pode manifestar-se como pintas brancas dolorosas.
− Doença renal. Problemas com micção, possivelmente dolorosa e com a presença de sangue.
− Falta de glóbulos brancos. Pode resultar em infecções frequentes, com febre, graves calafrios, inflamação da garganta ou úlceras na boca.
− Baixa contagem de plaquetas. Pode resultar em sangramento ou hematomas com mais facilidade do que o normal.
− Destruição de glóbulos vermelhos. Pode resultar em cansaço, cefaleias, falta de ar durante a prática de exercícios físicos, vertigem, palidez e amarelamento da pele e/ ou dos olhos.
− Convulsões (ataques). Podem ocorrer em pacientes com função renal prejudicada ou que tomam doses altas.
Se qualquer desconforto incomum se desenvolver enquanto você toma este medicamento, conte ao médico o mais breve possível.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA GRANDE QUANTIDADE DESTE MEDICAMENTO DE UMA SÓ VEZ?
É pouco provável que, em caso de superdosagem de amoxicilina, ocorram problemas. Se observados, efeitos gastrintestinais como náusea, vômito e diarreia podem ser evidentemente relacionados ao medicamento e devem ser tratados sintomaticamente. Portanto, nesse caso procure seu médico.

ONDE E COMO DEVO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Manter o produto em sua embalagem original e conservar em temperatura ambiente (entre 15º e 30º C) e proteger da umidade.
Suspensão Oral: após preparo manter por 7 dias em temperatura ambiente ou 14 dias sob refrigeração.
O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho).

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

r por 7 dias em temperatura ambiente ou 14 dias sob refrigeração.
O prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação (vide cartucho).

TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.