Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Astrazeneca

Apresentação

Xpe emb. c/ fr. c/ 100 ml Cada ml contém: Sulfato de terbutalina... 0,3 mg Guaifenesina.. 13,3 mg

Indicações

Asma brônquica. Bronquite crônica, enfisema e outras pneumopatias que apresentam broncoespasmo e secreção.

Contra-indicações

Hipersensibilidade à terbutalina, à guaifenesina e aos outros componentes da fórmula.

Advertências

Como para todos os agonistas beta-2, deve-se ter cuidado em pacientes com tireotoxicose e em pacientes com distúrbios cardiovasculares graves, como cardiomiopatia hipertrófica, doença cardíaca isquêmica, taquiarritmia ou insuficiência cardíaca grave. Em pacientes diabéticos, recomendam-se inicialmente controles adicionais da glicemia, devido aos efeitos hiperglicêmicos dos agonistas beta-2. Hipocalemia potencialmente séria pode resultar da terapia com agonista beta-2. Cuidados especiais devem ser tomados em asma aguda grave, pois o risco associado pode ser aumentado pela hipóxia. O efeito hipocalêmico pode ser potencializado por tratamentos concomitantes. Recomenda-se que os níveis séricos de potássio sejam monitorados nestas situações.

Uso na gravidez

Categoria de risco na gravidez: C. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não foram relatados efeitos teratogênicos em humanos ou em animais. Entretanto, recomenda-se cuidado durante o primeiro trimestre da gravidez. A terbutalina passa para o leite materno, entretanto, nas doses terapêuticas, a influência na criança é improvável. Como para qualquer outra droga, a terbutalina somente deve ser usada durante a gravidez ou lactação se, a critério médico, os benefícios potenciais superarem os possíveis riscos. Hipoglicemia transitória foi relatada em bebês recém-nascidos prematuros, após tratamento da mãe com agonistas beta-2.

Interações medicamentosas

Os beta-bloqueadores (incluindo colírios), especialmente os não seletivos, podem inibir parcial ou totalmente os efeitos dos agonistas beta. Hipocalemia pode resultar de terapia agonista beta-2 e pode ser potencializada por tratamento concomitante com derivados xantínicos, esteróides e diuréticos.

Reações adversas / Efeitos colaterais

A intensidade das reações adversas dependem da dosagem e via de administração. As aminas simpatomiméticas podem causar tremor, cefaléia, cãibras musculares e palpitações. A maioria desses efeitos, quando ocorrem, são espontaneamente reversíveis dentro das primeiras (1-2) semanas de tratam.. Urticária e exantema podem ocorrer. Distúrbios do sono e de comportamento, como agitação, hiperatividade e inquietação, têm sido observados.

Posologia

A dosagem deve ser individualizada: Adultos: 3 - 4,5 mg (10 - 15 ml), 3 vezes ao dia. Crianças: 0,075 mg (0,25 ml)/kg, 3 vezes ao dia (vide tabela a seguir). Doses recomendadas: Peso (kg) Dose 4 1 ml x 3 6 1,5 ml x 3 8 2 ml x 3 10 2,5 ml x 3 12 3 ml x 3 14 3,5 ml x 3 16 4 ml x 3 18 4,5 ml x 3 20 5 ml x 3 24 6 ml x 3 28 7 ml x 3 32 8 ml x 3 36 9 ml x 3 40 10 ml x 3

Superdosagem

Possíveis sinais e sintomas: cefaléia, ansiedade, tremor, náusea, cãibras musculares, palpitações, taquiarritmias e ocasionalmente, queda da pressão sanguínea. Relatos laboratoriais: hiperglicemia e acidose láctica podem ocorrer. Agonistas beta-2 podem causar hipocalemia como resultado da redistribuição de potássio. Tratamento: normalmente não é necessário nenhum tratamento. Se houver suspeita de que quantidades significantes de sulfato de terbutalina foram ingeridas, as seguintes medidas devem ser consideradas: Lavagem gástrica e administração de carvão ativado. Determinar o balanço ácido-base, glicemia e eletrólitos. Monitorar a frequência e o ritmo cardíaco bem como a pressão sanguínea. O antídoto mais indicado para a superdosagem com BRICANYL é um agente beta-bloqueador cardiosseletivo, porém fármacos beta-bloqueadores devem ser usados com precaução em pacientes com história de broncoespasmo. Deve-se administrar um expansor de volume se a redução da resistência vascular periférica mediada pelo beta-2 contribuir significativamente para a queda da pressão sanguínea.

Informações

A terbutalina é um agonista adrenérgico que estimula predominantemente os receptores beta-2, produzindo relaxamento do músculo liso bronquial, inibição da liberação de espasmógenos endógenos, inibição do edema causado por mediadores endógenos, aumento do movimento mucociliar e relaxamento do músculo uterino. Em estudos clínicos, o efeito broncodilatador de BRICANYL Composto Expectorante tem durado até 8 horas. Propriedades Farmacocinéticas Há considerável metabolismo de primeira passagem na parede intestinal e fígado. A biodisponibilidade é de aproximadamente 10% e aumenta para aproximadamente 15% se a terbutalina é ingerida com estômago vazio. A concentração plasmática máxima da terbutalina é alcançada dentro de 3 horas e sua metabolização se dá principalmente por conjugação com ácido sulfúrico e é excretada como conjugado sulfato. Não são formados metabólitos ativos. O maior efeito tóxico da terbutalina observado em estudos toxicológicos é a necrose miocárdica focal. Este tipo de cardiotoxicidade é um efeito clássico bem conhecido, e o efeito da terbutalina é igual ou menos acentuado do que aqueles de outros agonistas beta-receptores. Terbutalina tem sido largamente usada por muitos anos para alívio do broncoespasmo, sem identificação de qualquer área de preocupação. A guaifenesina fluidifica o muco viscoso das vias respiratórias, facilitando assim a expectoração e aliviando a tosse.

nos acentuado do que aqueles de outros agonistas beta-receptores. Terbutalina tem sido largamente usada por muitos anos para alívio do broncoespasmo, sem identificação de qualquer área de preocupação. A guaifenesina fluidifica o muco viscoso das vias respiratórias, facilitando assim a expectoração e aliviando a tosse.