Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Biolab

Apresentação

caixa com 10 comprimidos.

Contra-indicações

Em casos de obstrução intestinal; nas colopatias inflamatórias (retocolites e doença de Crohn), apendicite; síndrome de oclusão abdominal de causa indeterminada; estados de severa desidratação com depleção hidro-eletrolítica. Pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

Advertências

Gerais: o tratamento medicamentoso da constipação é um coadjuvante às medidas físico/higieno/dietéticas que devem ser seguidas, como por exemplo: enriquecimento da alimentação com fibras vegetais e líquidos, orientação sobre novas atividades físicas e reeducação da defecação. Produtos laxantes não devem ser utilizados por longos períodos seguidos (superior a uma ou duas semanas) sem supervisão médica.

Uso na gravidez

Gravidez: não há relatos de efeitos indesejáveis ou prejudiciais durante a gravidez ou no feto, quando usado de acordo com a dose recomendada. Entretanto, em vista de dados experimentais referentes ao risco genotóxico de antranóides, deve-se evitar o uso do produto durante a gravidez ou tomar o medicamento sob supervisão médica. Lactação: embora os derivados antraquinônicos possam ser excretados no leite materno, suas concentrações são normalmente insuficientes para afetar o lactente nas doses recomendadas. Entretanto, não é recomendada a amamentação durante a administração®, uma vez que não há dados toxicológicos suficientes sobre a excreção de metabólitos no leite materno.

Interações medicamentosas

Anti-arrítmicos (amiodarona, quinidinas, sotalol), astemizol, eritromicina, halofantrina, pentamidina, terfenadina e vincamina, quando administrados conjuntamente com senosídios, podem provocar aumento das reações adversas. Digitálicos: a hipocalemia favorece os efeitos tóxicos dos digitálicos. Deve-se monitorar os níveis de potássio e, se preciso, fazer monitoramento através de ECG. Outros hipocalemiantes (anfotericina B via EV, corticóides, diuréticos hipocalemiantes): aumentam o risco de hipocalemia. Deve-se monitorar os níveis de potássio e, se necessário, corrigi-los. Interferência em Exames Laboratoriais A coloração vermelho-amarronzada da urina, resultante de metabólitos antranóides, pode levar a resultados falso-positivos para urobilinogênio urinário e para estrógenos medidos pelo procedimento de Kober.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Dores abdominais, vômitos, diarréias e reações do tipo alérgicas cutâneas. O uso crônico ou abusivo pode causar pseudomelanose do cólon, inofensivo e reversível após descontinuação do medicamento; distúrbio do balanço eletrolítico, com possibilidade de hipocalemia, albuminúria e hematúria; baqueamento dos dedos, também reversível com a descontinuação de uso. A urina pode adquirir uma coloração amarela ou vermelhoamarronzada devido aos metabólitos do medicamento, efeito pH-dependente porém sem significado clínico.

Posologia

Comprimido revestido 33,5 mg Adultos e crianças acima de 12 anos: tomar 1 a 2 comprimidos, 1 a 2 vezes ao dia, com um copo de água. Crianças de 6 a 12 anos: tomar 1 comprimido, 1 a 2 vezes ao dia, com um copo de água. Crianças menores que 6 anos: a critério médico. Comprimido revestido 55,6 mg Adultos e crianças acima de 12 anos: tomar 1 comprimido, 1 a 2 vezes ao dia, com um copo de água. Superdosagem Sintomas: os principais sintomas de superdosagem são dor abdominal intensa e diarréia severa com perda de fluidos e de eletrólitos. Tratamento: o tratamento deve ser feito através da reposição de generosas quantidades de fluidos. Os eletrólitos, principalmente potássio, devem ser monitorados, particularmente em idosos e crianças. Pacientes idosos: veja o item "geriatria" em "Cuidados e advertências".

Uso em idosos, crianças e em outros grupos de risco

Pediatria: Laxette® só deve ser usado por crianças menores de 6 anos sob supervisão médica. (Veja também o item Posologia). Geriatria (idosos): não há restrições específicas para o uso em pacientes idosos.

eve ser usado por crianças menores de 6 anos sob supervisão médica. (Veja também o item Posologia). Geriatria (idosos): não há restrições específicas para o uso em pacientes idosos.