Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Delta

Referência

Dipirona e Cafeína e Orfenadrina

Apresentação

compr. cx. c/ 12 ou 200 un. sol. gotas fr. c/ 10 ml

Contra-indicações

Gravidez: Intolerância a qualquer um dos componentes da fórmula. Devido ao fraco efeito anticolinérgico da orfenadrina, não deve ser utilizada em pacientes c/ glaucoma, obstrução pilórica ou duodenal, acalasia do esôfago, úlcera péptica estenosante, hipertrofia prostática, obstrução do colo vesical ou miastenia grave. Devido à presença de dipirona, Dorzone não deve ser administrado a pacientes c/ hipersensibilidade aos derivados pirazolônicos ou c/ doenças metabólicas, c/ porfiria ou deficiência congênita da glicose-6-fosfato-desidrogenase.

Reações adversas / Efeitos colaterais

A orfenadrina, como todo anticolinérgico, pode produzir bradicardia, arritmias cardíacas, secura da boca, sede, diminuição da sudorese, midríase, dificuldade de acomodação visual. Em doses tóxicas podem ocorrer, além dos sintomas mencionados, ataxia, distúrbio de fala, disfagia, agitação, pele seca e quente, disúria, diminuição dos movimentos peristálticos intestinais, aumento da pressão intra-ocular, náuseas, vômitos, cefaléia, constipação, tonturas, alucinações, delírio e coma. Pacientes idosos também podem sentir um certo grau de confusão mental. A dipirona pode produzir distúrbios da crase sangüínea: trombocitopenia, pancitopenia, agranulocitose, anemia hemolítica e meta-hemoglobinemia. Já têm sido relatados casos de aplasia medular, embora raros. Com maior freqüência em pacientes c/ história de hipersensibilidade a outras drogas ou substâncias, a dipirona pode produzir o aparecimento de reações alérgicas, síndrome de Stevens-Johnson e eventualmente até anafilaxia (choque). Neste caso, o medicamento (Dorzone) deve ser suspenso e instituído o tratamento médico adequado. Em caso de reação anafilática, epinefrina aquosa é a droga de escolha. Pode ser injetada por via endovenosa, lentamente, na dose de 1 ml em diluição de 1:10.000 (1 ml de epinefrina a 1:1.000 diluído em 10 ml de soro fisiológico). A seguir, procede-se à corticoterapia, se necessária, e a reposição de volume c/ expansores do plasma.

Posologia

Adultos: 1 a 2 comp. ou 30 a 60 gotas, 3 a 4 vezes ao dia. Não ultrapassar estes limites.

- PosologiaAdultos: 1 a 2 comp. ou 30 a 60 gotas, 3 a 4 vezes ao dia. Não ultrapassar estes limites.