Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Pfizer

Apresentação

Ketalar sol. inj. em emb. c/ 5 fr.-ampola de 10 mL. (50mg/ml)

Indicações

Ketalar (cloridrato de cetamina) é indicado como anestésico único em intervenções diagnósticas e cirúrgicas que não necessitem de relaxamento muscular. Apesar de ser mais apropriado para intervenções de curta duração, Ketalar pode ser empregado, mediante administração de doses adicionais, em procedimentos cirúrgicos mais prolongados. Ketalar é indicado para indução de anestesia, previamente à administração de outros anestésicos gerais. É indicado em obstetrícia para parto vaginal ou cesárea. Ketalar também é indicado para suplementar outros agentes anestésicos de baixa potência, como óxido nitroso. Dentre as áreas de aplicação específica (não se limitando a essas) incluem-se: 1. Debridamentos e enxertos de pele em pacientes queimados. 2. Intervenções neurodiagnósticas como mielogramas e punções lombares. 3. Intervenções diagnósticas e cirúrgicas nos olhos, ouvidos, nariz e boca. 4. Sigmoidoscopia e pequena cirurgia retal. 5. Cateterismo cardíaco. 6. Intervenções ortopédicas.

Contra-indicações

Ketalar (cloridrato de cetamina) é contra-indicado nos casos em que uma elevação significante da pressão arterial possa constituir grave risco e a pacientes que demonstraram hipersensibilidade à droga.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Cardiovasculares: Após a administração isolada (cloridrato de cetamina), a pressão arterial e os batimentos cardíacos são elevados frequentemente. No entanto, ocorreram casos de hipotensão e bradicardia. Também ocorreu arritmia cardíaca. Respiratórias: Embora a respiração seja frequentemente estimulada, poderá ocorrer acentuada depressão da respiração ou apnéia, após administração intravenosa rápida de doses elevadas de Ketalar. Foram observados casos de laringospasmo e outras formas de obstrução das vias respiratórias durante a anestesia por Ketalar. Oculares: Após a administração, foi notada a ocorrência de diplopia e nistagmo, além de leve elevação da pressão intra-ocular. Psicológicas: vide Precauções’. Neurológicas: Em alguns pacientes, o aumento do tônus da musculatura esquelética pode se manifestar por movimentos tônicos e clônicos que, às vezes, se assemelham a convulsões. Gastrintestinais: Foi observado anorexia, náuseas e vômitos, mas esses transtornos geralmente não são graves e a grande maioria dos pacientes ingere líquidos logo após a recuperação da consciência. Geral: Anafilaxia. Raramente foram observados casos de dor e exantema no local da injeção. Também foram observados eritema transitório e/ou erupção morbiliforme.

Posologia

NOTA: Em consequência da incompatibilidade química (cloridrato de cetamina) com barbitúricos, estes não devem ser utilizados na mesma seringa por ocorrer formação de precipitado. Se além da dose for necessário o uso de um benzodiazepínico (diazepam), ambas as drogas devem ser aplicadas separadamente. Não misture Ketalar e diazepam na mesma seringa ou frasco de infusão. Preparação no pré-operatório 1. Uma vez que foram relatados vômitos após a administração, medidas de proteção às vias aéreas devem estar disponíveis, pois os reflexos laringofaríngeos continuam ativos. Entretanto, como pode ocorrer aspiração com o uso, e uma vez que os reflexos protetores podem também estar diminuídos devido aos anestésicos suplementares e relaxantes musculares, a possibilidade da aspiração é um fato que deve ser considerado. O uso de Ketalar é recomendado ao paciente cujo estômago não esteja vazio desde que o médico julgue que os benefícios da droga superem os possíveis riscos. 2. Deve-se administrar atropina, escopolamina ou um outro anti-sialogogo com intervalo apropriado anterior à indução. Início e duração Pelo fato da indução da anestesia após a injeção intravenosa inicial ser rápida, devese manter o paciente em posição com apoio adequado durante a administração. O início da ação é rápido, uma dose intravenosa de 2 mg/kg de peso corpóreo normalmente produz anestesia cirúrgica 30 segundos após a injeção e de um modo geral, o efeito anestésico dura de 5 a 10 minutos. Se for desejada duração prolongada, podem ser administradas doses adicionais intravenosas ou intramusculares para manter a anestesia sem produzir efeitos cumulativos significantes. Baseado na experiência inicial com pacientes pediátricos, uma dose intramuscular de 9 a 13 mg/kg produz em geral anestesia cirúrgica dentro de 3 a 4 minutos após a injeção, com efeito anestésico durando em geral de 12 a 25 minutos. Dose Como ocorre com outros anestésicos gerais, a resposta individual ao Ketalar pode variar, dependendo da dose, via de administração e da idade do paciente, portanto a dosagem recomendada não pode ser absolutamente fixada. A dose deve ser ajustada às necessidades de cada paciente. Indução Por via intravenosa: A dose intravenosa inicial pode variar entre 1 e 4,5 mg/kg. A dose média necessária para produzir anestesia cirúrgica, de 5 a 10 minutos de duração, é de 2 mg/kg. Alternativamente em pacientes adultos, uma dose de indução de 1 a 2 mg/kg via intravenosa, utilizada na velocidade de 0,5 mg/kg/min, pode ser usada para indução da anestesia. Adicionalmente, pode-se usar diazepam em doses de 2 a 5 mg, administrado em seringa separada durante 60 segundos. Na maioria dos casos, 15 mg de diazepam intravenoso ou menos são suficientes. A incidência de manifestações psicológicas durante a recuperação da anestesia, particularmente do tipo sonhos e delirium, pode ser reduzida com este esquema de dose de indução. Velocidade da administração: A administração venosa deve ser feita lentamente durante um período de 60 segundos. A administração mais rápida pode acarretar depressão respiratória e uma reação de incremento da pressão arterial. Por via intramuscular: A dose intramuscular inicial pode variar entre 6,5 e 13 mg/kg. Geralmente uma dose de 10 mg/kg produzirá anestesia cirúrgica de 12 a 25 minutos de duração. Manutenção da anestesia A dose de manutenção deve ser ajustada de acordo com a necessidade anestésica dos pacientes e com o emprego de agentes anestésicos adicionais. Doses adicionais, equivalentes à metade da dose de indução até a dose de indução completa, podem ser repetidas para manutenção da anestesia conforme o necessário. Entretanto, deve ser notado que durante a anestesia poderão ocorrer movimentos involuntários e tônico-clônicos das extremidades. Esses movimentos não implicam um nível leve, nem indicam necessidade de se administrar doses adicionais de anestésico. Quanto maior for a dose total administrada, maior será o tempo de recuperação completa. Pacientes adultos induzidos com Ketalar mais diazepam por via intravenosa podem ser mantidos com Ketalar administrado por infusão lenta em microgotas na dose 0,1 a 0,5 mg/min, aumentado com diazepam 2 a 5 mg intravenosamente, conforme necessário. Na maioria dos casos, 20 mg ou menos do diazepam total via intravenosa, será suficiente para a indução combinada e manutenção. Entretanto, uma quantidade levemente maior de diazepam pode ser necessária, dependendo da natureza e duração da cirurgia, estado físico do paciente e outros fatores. A incidência de manifestações psicológicas durante o período de recuperação da anestesia, particularmente sonhos e delirium, pode ser reduzida com este esquema de dose de manutenção. Diluição Para preparar uma solução diluída contendo 1 mg de cetamina por mL, transferir assepticamente 10 mL (frasco-ampola com 50 mg/mL) para 500 mL de dextrose injetável 5% ou cloreto de sódio injetável 0,9% e misturar bem. A solução resultante conterá 1 mg de cetamina por mL e permanecerá estável por 24 horas. As necessidades de líquidos do paciente e a duração da anestesia devem ser consideradas na seleção da diluição apropriada. Se houver necessidade de restrição de líquidos, Ketalar pode ser adicionado a uma infusão de 250 mL conforme descrito acima para obter uma concentração de 2 mg de cetamina por mL. Agentes suplementares Ketalar é clinicamente compatível com os anestésicos locais ou gerais de uso corrente, desde que seja mantida uma troca respiratória adequada. O esquema de doses reduzidas suplementadas com diazepam pode ser usado para promover uma anestesia equilibrada em combinação com outros agentes, tais como o óxido nitroso e oxigênio.

Informações

O Ketalar anestésico geral de ação rápida, produz um estado anestésico caracterizado por uma profunda analgesia, reflexos laringofaríngeos normais, tônus da musculatura esquelética normal ou levemente aumentado. Ocorre leve estímulo cárdio-respiratório e ocasionalmente depressão respiratória. O estado de anestesia produzido pela cetamina foi denominado anestesia dissociativa, pelo fato de aparentemente interromper de modo seletivo o percurso das vias associativas cerebrais, antes de ser estabelecido o bloqueio sensorial somestésico. A cetamina pode deprimir seletivamente o sistema talâmico-neocortical antes mesmo de ser obtida a paralisação dos centros cerebrais mais antigos e de suas respectivas vias (sistema ativador reticular e sistema límbico).

rmais, tônus da musculatura esquelética normal ou levemente aumentado. Ocorre leve estímulo cárdio-respiratório e ocasionalmente depressão respiratória. O estado de anestesia produzido pela cetamina foi denominado anestesia dissociativa, pelo fato de aparentemente interromper de modo seletivo o percurso das vias associativas cerebrais, antes de ser estabelecido o bloqueio sensorial somestésico. A cetamina pode deprimir seletivamente o sistema talâmico-neocortical antes mesmo de ser obtida a paralisação dos centros cerebrais mais antigos e de suas respectivas vias (sistema ativador reticular e sistema límbico).