Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Hebron

Apresentação

emb. c/ 10 ou 30 compr. de 20 ou 40 mg.

Indicações

Imunoglucan está indicado como imunomodulador em pacientes portadores de condições clínicas, sabidamente geradoras de uma baixa resposta imunológica. Portanto, potencialmente com risco de serem acometidos por infecções de difícil tratamento e controle. Dentre esses, incluem-se politraumatizados, pacientes em coma prolongado, portadores de infecções crônicas anergizantes, pacientes submetidos a cirurgias extensas, particularmente quando houver manipulação de alças intestinais, ou entubação orotraqueal prolongada. Indicado também nos casos de viroses crônicas: Hepatites, Herpes, HIV, HPV; parasitoses como esquistossomose com granulomas; micoses profundas, paracoccidiodoses, criptococoses, aspergiloses, entre outras.

Contra-indicações

Imunoglucan não deve ser administrado a pacientes transplantados ou com hipersensibilidade ao produto.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Gerais: alguns pacientes podem apresentar febre e sensações de estado gripal, tais como astenia, mialgia e cefaléia discretas, cerca de 2 horas após a aplicação, geralmente de duração limitada. A febre pode se fazer presente com baixa freqüência. Pele: pode ocorrer vermelhidão, dor e nodulação no local da injeção, mormente com o uso prolongado do produto, entre o 1º e o 6º dia, com gradações desde discreta hiperemia até formação de abscesso. Em pacientes com AIDS, tem sido relatado o aparecimento de hiperqueratose palmar e plantar. Em portadores de dermatite de contato, o uso de glucana pode exacerbar o quadro.

Posologia

USO PEDIÁTRICO - VIA SUBCUTÂNEA (exclusivamente) Para crianças abaixo de 12 anos Usar o esquema seqüencial abaixo: - Injetar 0,6mL a 1,2mL por via subcutânea, de 7 em 7 dias, durante 4 semanas. - Após melhora clínica, passar a usar 0,6mL a 1,2mL a cada 2 semanas. - Mantendo-se a melhora clínica, passar a usar 0,6mL a 1,2mL a cada 3 semanas. - Persistindo a melhora clínica, passar a usar 0,6mL a 1,2mL a cada mês. - Usar por mais 4 meses. Desaparecendo os sintomas, suspender o tratamento ou seguir a orientação médica. USO ADULTO - VIA INTRAMUSCULAR (preferencialmente) OU SUBCUTÂNEA Usar o esquema seqüencial abaixo: - Injetar 2,5mL a 5,0mL, por via intramuscular profunda ou subcutânea, de 7 em 7 dias, durante 4 semanas. - Após melhora clínica, passar a usar 2,5mL a 5,0mL a cada 2 semanas. - Mantendo-se a melhora clínica, passar a usar 2,5mL a 5,0mL a cada 3 semanas. - Persistindo a melhora clínica, passar a usar 2,5mL a 5,0mL a cada mês. - Usar por mais 4 meses. Desaparecendo os sintomas, suspender o tratamento ou seguir a orientação médica.

Informações

Este medicamento é extraído da parede celular do Saccharomyces cerevisiae, através de hidrólise e digestão. É um polímero de ß-1,3-D-glicopiranose, sem ramificações laterais. Não possui ação tóxica primária, nem atividade imunogênica. Seu peso molecular é de 6.500 Dalton. A glucana tem como funções: estimular a imunocompetência do Sistema Fagocítico Mononuclear (SFM, ex SRE), no combate às infecções por vírus, bactérias, protozoários e fungos patogênicos; aumentar, de modo inespecífico, a atividade dos macrófagos na modulação da resposta imune; modular a resposta humoral e celular; estimular o sistema timo/dependente; propiciar maior número de células formadoras de colônias de macrófagos e granulócitos do baço e medula óssea, capazes de formar colônias in vitro-. Estas observações sugerem que a glucana, usada como agente imunoterápico, pode levar a aumento do número de células efetoras viáveis. Estimula a produção de IL-1, que amplia a resposta imune pela estimulação do T-helper; diminui o tamanho dos granulomas existentes na esquistossomose, modificando sua morfologia e composição. Em resumo, a glucana apresenta como atividade biológica um incremento na função fagocitária dos macrófagos, com aumento no tamanho, na aderência e na atividade quimiotática. Promove ativação da imunidade celular e humoral e indução da proliferação de monócitos, macrófagos e na atividade granulopoiética e eritropoiética.

na atividade quimiotática. Promove ativação da imunidade celular e humoral e indução da proliferação de monócitos, macrófagos e na atividade granulopoiética e eritropoiética.