Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Astrazeneca

Apresentação

sol. inj. 1% e 2%. emb. c/ 5 fr. c/ 20 ml.

Indicações

Anestesia local ou regional: - por infiltração, incluindo injeção percutânea. - por anestesia regional intravenosa. - por técnicas de bloqueios nervosos periféricos, tais como: bloqueios do plexo braquial e intercostal. - por técnicas neurais centrais, incluindo os bloqueios peridurais e caudais.

Contra-indicações

Hipersensibilidade aos anestésicos locais do tipo amida ou aos outros componentes da fórmula, como por exemplo, ao metilparabeno ou, ao metabissulfito de sódio, nas soluções contendo epinefrina. Deve-se levar em consideração as contra-indicações gerais das diferentes técnicas anestésicas locais e regionais. A epinefrina é contra-indicada em pacientes com hipertiroidismo ou doença cardíaca grave, particularmente quando a taquicardia está presente. Deve-se evitar o uso de epinefrina em anestesia nas áreas do corpo supridas por artérias finais ou com comprometimento do suprimento sangüíneo, como dedos, nariz, ouvido externo, pênis etc.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Na ausência de superdosagem ou de injeção intravascular acidental são muito raras as reações adversas aos anestésicos locais. Elas devem ser distinguidas dos efeitos fisiológicos do nervo bloqueado, como a diminuição da pressão sangüínea e a bradicardia durante a anestesia epidural. Os efeitos da superdosagem e da injeção intravascular acidental podem ser graves (ver item Superdosagem). Hipotensão e bradicardia podem ocorrer como fenômenos fisiológicos normais após bloqueio simpático com bloqueio neural central.

Posologia

vide bula.

Informações

XYLOCAÍNA contém cloridrato de lidocaína, um anestésico local do tipo amida. A instalação da anestesia é rápida e a sua duração é média. A duração depende da concentração utilizada, da dose administrada e dos nervos a serem bloqueados. O início da ação ocorre em 1 a 5 minutos após infiltração e em 5 a 15 minutos para outras vias de administração. A anestesia com solução a 2% durará 1,5 a 2 horas quando a administração for epidural e até 5 horas com bloqueio dos nervos periféricos. Quando utilizada na concentração de 1%, haverá menor efeito nas fibras nervosas motoras e a duração da anestesia será menor. A adição de epinefrina diminui a velocidade de absorção, reduzindo a toxicidade e aumentando a duração do efeito. A lidocaína, assim como outros anestésicos locais, causa um bloqueio reversível da propagação do impulso ao longo das fibras nervosas através da inibição do movimento de íons sódio para dentro das membranas nervosas. Presume-se que anestésicos locais do tipo amida atuem dentro dos canais de sódio das membranas nervosas. Anestésicos locais podem também ter efeitos similares nas membranas excitáveis do cérebro e miocárdio. Se quantidades excessivas do fármaco atingirem a circulação sistêmica rapidamente, sinais e sintomas de toxicidade poderão aparecer, provenientes dos sistemas cardiovascular e nervoso central. A toxicidade no sistema nervoso central (ver item Superdosagem) geralmente precede os efeitos cardiovasculares, uma vez que ela ocorre em níveis plasmáticos mais baixos. Efeitos diretos dos anestésicos locais no coração incluem condução lenta, inotropismo negativo e, consequentemente, parada cardíaca.

istema nervoso central (ver item Superdosagem) geralmente precede os efeitos cardiovasculares, uma vez que ela ocorre em níveis plasmáticos mais baixos. Efeitos diretos dos anestésicos locais no coração incluem condução lenta, inotropismo negativo e, consequentemente, parada cardíaca.