Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Roche

Apresentação

cx. c/ um fr. de 25 mg de daclizumab em 5 ml de sol. para infusão (5 mg/ml).

Indicações

Zenapax (Daclizumab) é indicado para a profilaxia da rejeição aguda de órgãos em pacientes que receberam transplante renal. É usado concomitantemente com um regime imunossupressor, incluindo ciclosporina e corticosteróide.

Contra-indicações

Zenapax (Daclizumab) é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao daclizumab ou a qualquer um dos componentes do produto.

Advertências

Por tratar-se de uma proteína imunossupressora, Zenapax (daclizumabe) deverá ser administrado sob supervisão médica qualificada. Os pacientes deverão ser informados dos benefícios potenciais da terapia e dos riscos associados à administração de terapias imunossupressoras. Os pacientes que se encontram sob terapia imunossupressora, após o transplante, apresentam risco aumentado para o desenvolvimento de distúrbios linfoproliferativos (LPDs) e de infecções oportunistas. Apesar (daclizumabe) ser uma droga imunossupressora, até esta data não foram observados LPDs nem infecções oportunistas em pacientes tratados com Zenapax (daclizumabe). Deverão ser adotadas precauções na administração de drogas imunossupressoras a pacientes idosos. Em receptores de transplante não há experiência quanto à exposição a um tratamento subseqüente ou secundário usando Zenapax (daclizumabe). Foram observadas reações anafiláticas após a administração de proteínas. Raramente podem ocorrer reações de hipersensibilidade graves após administração (daclizumabe). Portanto, deverão encontrar-se disponíveis as medicações para o tratamento de reações de hipersensibilidade aguda para uso imediato.

Uso na gravidez

Gestação categoria C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista. Não foram realizados estudos de reprodução animal com Zenapax (daclizumabe). Não é conhecido se Zenapax (daclizumabe) pode causar danos ao feto quando administrado em mulheres grávidas ou se afeta a capacidade reprodutiva. Visto ser conhecido que a IgG atravessa a barreira placentária, o uso (daclizumabe) deve ser evitado em mulheres gestantes, a menos que o potencial benefício para a mãe supere os riscos potenciais para o feto. As mulheres em idade fértil deverão usar métodos contraceptivos para evitar a gravidez e continuar o uso dos mesmos durante 4 meses após a última dose (daclizumabe). Não é conhecido se Zenapax (daclizumabe) é excretado no leite materno. Por causa da ocorrência potencial de reações adversas no lactente, o uso (daclizumabe) deve ser evitado em mulheres que estão amamentando, a menos que o benefício para a mãe supere os riscos potenciais para o lactente.

Interações medicamentosas

As seguintes medicações foram administradas em estudos clínicos com Zenapax (daclizumabe) sem qualquer interação: ciclosporina, micofenolato de mofetila, ganciclovir, aciclovir, tacrolimo, azatioprina, globulina imunológica antitimocítica, muromonab-CD3 (OKT3) e corticosteróides.

Reações adversas / Efeitos colaterais

O perfil de segurança (Daclizumab) foi determinado em quatro estudos clínicos, nos quais três foram randomizados e controlados, que envolveram 629 pacientes que receberam aloenxerto renal, dos quais 336 receberam Zenapax (Daclizumab) e 293 receberam placebo. Todos os pacientes receberam concomitantemente ciclosporina e corticosteróides. Foram relatados eventos adversos em 95% dos pacientes do grupo tratado com placebo e em 96% dos pacientes do grupo tratado com Zenapax (Daclizumab). A proporção de pacientes retirados prematuramente dos estudos por eventos adversos foi de 8,5% no grupo tratado com placebo e de 8,6% no grupo tratado com Zenapax (Daclizumab). Os eventos adversos relatados com maior freqüência foram distúrbios gastrintestinais, os quais foram relatados com freqüência semelhante para os pacientes dos grupos Zenapax (Daclizumab) (67%) e placebo (68%). Foram relatados eventos adversos sérios em 44% dos pacientes do grupo tratado com placebo e em 40% dos pacientes do grupo tratado com Zenapax (Daclizumab). Foram relatadas mortes cuja ocorrência foi nos primeiros 6 meses pós-transplante em 3,41% dos pacientes do grupo tratado com placebo e em 0,6% dos pacientes do grupo tratado com Zenapax (Daclizumab). A mortalidade após 12 meses foi de 4,44% no grupo placebo e de 1,5% no grupo Zenapax (Daclizumab). A incidência e os tipos de eventos adversos foram similares entre os grupos tratados com placebo e os tratados com Zenapax (Daclizumab). Os seguintes eventos adversos ocorreram em 5% ou mais dos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab). Estes eventos incluem: * Sistema gastrointestinal: constipação, náusea, diarréia, vômitos, dor abdominal, pirose, dispepsia, distensão abdominal, dor epigástrica não relacionada a alimentação; * Distúrbios Metabólicos e nutricionais: edema, edema de extremidades; * Sistema nervoso central e periférico: cefaléia, tremor, tontura; * Sistema urogenital: disúria, oligúria, necrose tubular renal; * Sistêmicos: dor pós-traumática, dor torácica, febre, dor, fadiga; * Sistema nervoso autônomo: hipertensão, hipotensão, hipertensão severa; * Sistema respiratório: tosse, dispnéia, edema pulmonar; * Pele e anexos: acne, dificuldade de cicatrização de feridas sem infecção; * Distúrbios psiquiátricos: insônia; * Sistema músculo-esquelético: dor muscular, dor lombar; * Sistema cardiovascular: taquicardia, trombose; * Complicações hemorrágicas: hemorragia; * Sistema linfático e hematológico:linfocele; Os seguintes eventos adversos ocorreram em = 2% e < 5% dos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab). Estes eventos incluem: * Sistema gastrintestinal: flatulência, gastrite, hemorróidas; * Distúrbios Metabólicos e nutricionais: desidratação, diabetes melitos, sobrecarga de volume; * Sistema nervoso central e periférico: retenção urinária, cãimbras nas pernas, sensação de formigamento; * Sistema urogenital: dano renal, hidronefrose, sangramento do trato urinário, desordens do trato urinário, insuficiência renal; * Sistêmicos: fraqueza generalizada, calafrios; * Sistema respiratório: atelectasia, congestão, faringite, rinite, hipóxia, estertores, sibilos, derrame pleural; * Pele e anexos: prurido, hirsutismo, rash cutâneo, sudorese noturna, aumento da sudorese; * Distúrbios psiquiátricos: depressão, ansiedade; * Sistema músculo-esquelético: artralgia, mialgia; * Distúrbios visuais: borramento da visão; * Local de aplicação: reação no local de aplicação. Incidência de malignidade: um ano após o transplante, a incidência de malignidade foi de 2,7% no grupo placebo comparado com 1,5% no grupo tratado com Zenapax (Daclizumab). A administração (Daclizumab) não aumentou o número de linfomas pós-transplante, os quais ocorreram com uma freqüência menor que 1% em ambos os grupos de tratamento. Hiperglicemia: nenhuma alteração, nos exames hematológicos ou bioquímicos, foi observada nos grupos tratados com placebo ou com Zenapax (Daclizumab) com exceção da glicemia de jejum. A glicemia de jejum foi avaliada num pequeno grupo de pacientes tratados com placebo e Zenapax (Daclizumab). Um total de 16% (10 de 64 pacientes) dos pacientes tratados com placebo e 32% (28 de 88 pacientes) dos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab) tiveram valores altos de glicemia de jejum. A maioria destes valores altos ocorreram no primeiro dia de pós-operatório quando os pacientes receberam altas doses de corticóide ou em pacientes diabéticos. Incidência de episódios de infecção: a incidência global de episódios de infecção, incluindo infecções virais, fúngicas, bacteremia, septicemia e pneumonia, não foi maior nos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab) do que nos tratados com placebo. Os tipos de infecções relatadas foram similares em ambos os grupos. A infecção por citomegalovírus foi relatada em 16% dos pacientes do grupo tratado com placebo e em 13% dos pacientes do grupo tratado com Zenapax (Daclizumab). Uma exceção foi celulite e infecção de ferida operatória, os quais ocorreram em 4,1% dos pacientes tratados com placebo e em 8,4% dos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab). Após um ano de transplante, 7 pacientes do grupo placebo e 1 do grupo Zenapax (Daclizumab) haviam morrido por causa de infecção. Pacientes pediátricos: o perfil de segurança para o uso (Daclizumab) em pacientes pediátricos mostrou-se comparável ao de pacientes adultos. Entretanto, os seguintes eventos adversos ocorreram mais freqüentemente nos pacientes pediátricos: diarréia (41%), dor pós-operatória (38%), febre (33%), vômitos (33%), hipertensão (28%), prurido (21%), infecção de vias aéreas superiores (20%) e infecção do trato urinário (18%). Zenapax (Daclizumab) não apresenta toxicidade aparente. Comparado com placebo, Zenapax (Daclizumab) não aumentou o perfil de toxicidade do regime imunossupressor contendo ciclosporina e corticosteróides sozinhos, ou com a introdução de azatioprina ou micofenolato mofetil.

Posologia

Dosagem padrão A dose recomendada (Daclizumab) em pacientes adultos e pediátricos é de 1 mg/kg. O volume (Daclizumab) contendo a dose adequada é adicionado a 50 mL de solução salina estéril a 0,9%, sendo administrado por via intravenosa durante um período de 15 minutos. Poderá ser administrado através de uma veia periférica ou central. Zenapax (Daclizumab) deverá ser administrado inicialmente dentro das 24 horas prévias ao transplante. A próxima dose e cada dose subseqüente deverá ser administrada a intervalos de 14 dias, num total de 5 doses. As doses subseqüentes poderão ser administradas um dia antes ou um dia depois da data programada. Instruções especiais de dosagem Pacientes com diminuição severa da função renal: Não são necessários ajustes de dosagem para pacientes com diminuição severa da função renal. Pacientes com diminuição severa da função hepática: Não existem dados disponíveis de pacientes com diminuição severa da função hepática. Idosos: Vide Pacientes idosos.

Superdosagem

A dose máxima tolerada não foi determinada em pacientes e não foi possível atingir a mesma em animais que receberam Zenapax (daclizumabe). A dose de 1,5 mg/kg foi administrada a receptores de transplante de medula óssea sem eventos adversos associados. Em um estudo de toxicidade com dose única foi administrada uma dose de 125 mg/kg, por via intravenosa, em camundongos sem evidência de toxicidade. Em um estudo sobre a toxicidade das diversas doses em macacos cynomolgus, Zenapax (daclizumabe) foi administrado intravenosamente nas doses de 1,5, 5,0 e 15 mg/kg diariamente por 28 dias; nenhuma toxicidade relacionada ao tratamento foi observada.

Informações

Zenapax (Daclizumab) contém daclizumab, um anticorpo anti-Tac IgG1 humanizado, recombinante, que atua como antagonista de receptor de interleucina-2 (IL-2). Daclizumab se liga com alta especificidade às subunidades alfa, ou Tac, do complexo receptor de alta afinidade da IL-2 (expressado em células T ativadas). A administração (Daclizumab) inibe a ativação da IL-2 mediada por linfócitos, um caminho crítico na resposta imunológica humana, envolvida na rejeição do aloenxerto. Na dosagem recomendada, o daclizumab satura o receptor Tac durante aproximadamente 90 dias na maioria dos pacientes. Anticorpos contra o daclizumab foram detectados em cerca de 9% dos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab) nos estudos clínicos, mas parece que não afetam a eficácia, segurança, níveis séricos de daclizumab ou quaisquer outros parâmetros clínicos examinados.

mediada por linfócitos, um caminho crítico na resposta imunológica humana, envolvida na rejeição do aloenxerto. Na dosagem recomendada, o daclizumab satura o receptor Tac durante aproximadamente 90 dias na maioria dos pacientes. Anticorpos contra o daclizumab foram detectados em cerca de 9% dos pacientes tratados com Zenapax (Daclizumab) nos estudos clínicos, mas parece que não afetam a eficácia, segurança, níveis séricos de daclizumab ou quaisquer outros parâmetros clínicos examinados.