Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Uci

Referência

Ranitidina comprimidos

Apresentação

compr. 150 mg cx. c/ 20 un. compr. 300 mg cx. c/ 16 un.

Contra-indicações

O produto está contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade a ranitidina, ou a qualquer componente da fórmula.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Podem ocorrer alterações transitórias e reversíveis nos testes de função hepática. Há relatos ocasionais de hepatite reversível (hepatocelular, hepatocanalicular ou mista) com ou sem icterícia. Ocorreram, alterações reversíveis na contagem de células sangüíneas (leucopenia e trombocitopenia), relatando-se também raros casos de agranulocitose ou de pancitopenia, algumas vezes com hipoplasia ou aplasia de medula óssea. Reações de hipersensibilidade (urticária, edema angioneurótico, broncoespasmos, hipotensão) têm sido raramente observados após administração parenteral ou oral de ranitidina. Estas reações têm ocorrido ocasionalmente após uma única dose. Também têm sido reportados raros casos de bradicardia e bloqueio atrio-ventricular, como ocorre com outros antagonistas dos receptores H2 Numa proporção muito pequena de pacientes tem-se observado cefaléia, algumas vezes graves, tontura e confusão mental reversível. Esta, predominantemente, em pacientes gravemente enfermos e muito idosos. Não houve evidência clinicamente significativa de interferência com a função endócrina ou gonadal. Existem relatos de sintomas mamários em homens sob tratamento com ratidina. Há raras ocorrências de erupção cutânea.

Posologia

Adultos A dose usual é de 150 mg duas vezes ao dia, pela manhã e a noite. Alternativamente, os pacientes com úlcera duodenal ou gástrica podem ser tratados com um comprimido de 300 mg à noite ao deitar. Na maioria dos casos de úlcera duodenal, úlcera gástrica benigna e úlcera pós-operatória, a cicatrização ocorre em 4 semanas. Em pacientes que a úlcera não cicatriza completamente nesse período, um prolongamento da terapia por mais 4 semanas é indicado. Recomenda-se tratamento de manutenção com posologia reduzida, de um comprimido de 150 mg ao deitar, para pacientes cujas úlceras responderam bem a terapia em curto prazo, particularmente aqueles com história de úlcera recorrente. No controle da esofagite de refluxo, o esquema posológico recomendado é de 150 mg duas vezes ao dia ou 1 comprimido de 300 mg a noite, ao deitar, por até oito semanas. Em pacientes com síndrome de Zollinger-Ellison, a dose inicial é de 150 mg 3 vezes ao dia, podendo a mesma ser aumentada quando necessário. Pacientes com esta síndrome receberam doses crescentes de até 6g por dia, as quais foram bem toleradas. Para pacientes com dispepsia episódica crônica o tratamento recomendado é de 1 comprimido de 150 mg duas vezes ao dia, até 6 semanas. Qualquer paciente que não responda a terapia ou com recidiva, neste tempo, deve ser investigado. Nos pacientes com possibilidade de desenvolver síndrome da aspiração ácida, pode ser administrada uma dose oral de 150 mg, duas horas antes da indução da anestesia e, de preferência, uma outra de 150 mg na noite anterior. Em pacientes em trabalho de parto, pode ser administrada uma dose oral de 150 mg a cada 6 horas. Como o esvaziamento gastrico e a absorção de medicamentos estão retardados durante o trabalho de parto, numa situação de anestesia geral de emergência, alem do produto, recomenda-se administrar, um anti-ácido que não forme partículas, antes da indução da anestesia. Devem ser tomadas também as precauções usuais para evitar a aspiração do ácido. Na insuficiência renal grave: 1 comprimido de 150 mg a noite, por quatro a oito semanas. A mesma dose deve ser usada para tratamento de manutenção, quando se julgar necessário. Caso a úlcera não tenha cicatrizado após o tratamento, a posologia padrão de 150 mg duas vezes ao dia deve ser instituída, seguida, se necessário, pelo tratamento de manutenção de 150 mg à noite. Crianças A experiência com o produto em crianças ainda é limitada, não tendo o seu uso em pacientes pediátricos sido completamente avaliados em estudos clínicos. Contudo, foi usado com sucesso em crianças de 8 a 18 anos em doses de ate 150 mg duas vezes ao dia.

s. Contudo, foi usado com sucesso em crianças de 8 a 18 anos em doses de ate 150 mg duas vezes ao dia.