Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Farmalab

Apresentação

cx. 1 c/ 5 amp. de 10 ml. cx. 5 c/ 5 amp. de 20 ml.

Indicações

Como medicação energética. Complemento vitamínico nos estados de carência do complexo B e da vitamina C.

Contra-indicações

Hipersensibilidade conhecida a qualquer componente da fórmula. Pacientes com intolerância hereditária à frutose.

Advertências

O produto não poderá ser usado por via intra-muscular. Uso exclusivamente endovenoso, lento. Poderá ser diluído em soluções para uso parenteral, tais como: soro fisiológico, soro glicosado, lactado, solução de Ringer, soluções de aminoácidos, etc. A Frutose não deve ser administrada em pacientes com intolerância hereditária à frutose. Deve ser administrado com cautela em pacientes com disfunção renal ou dano severo hepático. Embora o metabolismo da frutose não seja dependente de insulina, uma parte da frutose pode ser metabolizada a glicose, e por isso deve ser administrado em pacientes diabéticos somente quando houver extrema necessidade. Altas doses de ácido ascórbico (vitamina C) podem resultar na formação de cálculos renais, embora pacientes saudáveis possam ingerir altas doses com relativamente pequeno aumento da excreção de oxalato e sem aumento no risco de formação de pedras de oxalato. Altas doses de ácido ascórbico tem resultado em hemodiálise em pacientes com deficiência de glicose -6-fosfato. Àcido Nicotínio deve ser administrado com precaução em pacientes com histórico de úlcera péptica, em pacientes com gota ou disfunção hepática. Pode ser necessário alterar a dose de insulina ou de hipoglicemiantes orais. Administração prolongada de altas doses de cloridrato de piridoxina (Vitamina B6) está associada com o desenvolvimento de neuropatia periférica severa (doses diárias de aproximadamente 2 gramas). Piridoxina reduz o efeito da levodopa, mas isto não ocorre se um inibidor da dopa-decarboxilase for administrado concomitantemente. Muitas drogas podem alterar tanto o metabolismo quanto a biodisponibilidade de piridoxina, tais como isoniazida, penicilínicos e contraceptivos orais.

Uso na gravidez

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.

Interações medicamentosas

Não são conhecidas.

Reações adversas / Efeitos colaterais

No local da aplicação endovenosa pode ocorrer: hematoma, flebite e celulite. Esses efeitos são restritos ao local de aplicação e dependem da forma adequada de uso do produto. Após infusão de frutose pode ocorrer acidose lática e hiperuricemia. Altas doses de fosfato sódico de riboflavina (vitamina B2) pode resultar em alteração na coloração da urina o que pode causar certa interferência em testes laboratoriais. Tem sido reportado, especialmente com altas doses de ácido nicotínico, ressecamento da pele, prurido, hiperpigmentação, cólica abdominal, diarréia, náuseas e vômito, anorexia, ativação de úlcera péptica, ambliopia, icterícia e disfunção renal, diminuição da tolerância a glicose, hiperglicemia e hiperuricemia. Muitos destas reações desaparecem com a interrupção do tratamento. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER NOTIFICADO.

Posologia

O conteúdo de uma ampola, 1 a 3 vezes ao dia, ou a critério médico. As ampolas (1 a 3 vezes ao dia) poderão ser dissolvidas em soluções de uso parenteral. Injetar lentamente, somente, por via endovenosa.

Superdosagem

Até o momento não foram relatados casos de superdosagem com o medicamento, já que se trata de um medicamento de uso parenteral. Caso ocorra, o paciente deve ser monitorado, pois podem ocorrer: acidose lática e hiperuricemia, devido ao excesso de frutose; e ressecamento da pele, prurido, hiperpigmentação, cólica abdominal, diarréia, náuseas e vômito, anorexia, ativação de úlcera péptica, ambliopia, icterícia e disfunção renal, diminuição da tolerância a glicose, hiperglicemia e hiperuricemia devido ao excesso de ácido nicotínico. A superdosagem de vitamina C (quatro a dez gramas por dia) pode causar problemas respiratórios, gastrointestinais e aparecimento de cálculos renais. Também pode dificultar a ação de certos medicamentos anticoagulantes e interferir em resultados de exames laboratoriais.

Informações

Cada ampola contém: ... 10 ml ...20 ml Frutose.. 2,500 g ..5,000 g Vitamina B2 (Riboflavina fosfato de sódio) .. 0,002 g ..0,004 g Vitamina B6 (Cloridrato de Piridoxina) .. 0,010 g ..0,020 g Vitamina C (ácido ascórbico) .. 1,000 g ..2,000 g Nicotinamida ...0,015 g ..0,030 g Água Bidestilada q.S.p... 10,000 ml ...20,000 ml Frutovena atua como estimulante celular, com seguro efeito sobre a nutrição dos tecidos. É alimento de valor energético e aproveitamento integral. Frutovena reúne numa só ampola, além de frutose, as principais vitaminas do Complexo B e a Vitamina C. A frutose é empregada como energético parenteral. Converte-se em glicogênio hepático, e é metabolizada mais rapidamente que a dextrose. Em conseqüência, pode ser usada em infusão intra-venosa em concentração mais elevada que a dextrose sem ocasionar hipertonicidade do plasma. As Vitaminas B6, Vitamina B2 e a Nicotinamida agem nos fenômenos de oxiredução e a Vitamina C, como antitóxica. Frutovena destina-se, portanto, ao tratamento das toxemias e dos estados de desnutrição, neurites, polineurites, distúrbios do metabolismo, doenças infecciosas, anorexias, pertubações agudas e crônicas do aparelho digestivo, toxemias gravídicas (vômitos incoercíveis, eclâmpsia), diateses hemorrágicas e convalescenças.

olineurites, distúrbios do metabolismo, doenças infecciosas, anorexias, pertubações agudas e crônicas do aparelho digestivo, toxemias gravídicas (vômitos incoercíveis, eclâmpsia), diateses hemorrágicas e convalescenças.