Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Medley

Apresentação

compr. emb. c/ 20 un. de 1 mg.

Indicações

Absten s está indicado como coadjuvante no tratamento da obesidade exógena a curto prazo (poucas semanas), nos esquemas de redução de peso baseado em restrição calórica, exercício físico e mudança no hábito alimentar. O benefício deste tipo de medicamento deve ser avaliado frente aos possíveis fatores de risco inerentes ao seu uso.

Contra-indicações

Não deve ser usado em pacientes que apresentem glaucoma , hipersensibilidade ou idiossincrasia ao mazindol, estados de agitação, pacientes com história de abuso ou dependência de drogas e de álcool, durante ou nos 14 dias que se seguem a administração de inibidores da monoamino-oxidase - IMAO (pode resultar em crises hipertensivas), enfermidade cardiovascular sintomática, incluindo arritmias, isquemia cerebral, hipertensão, uremia, diabetes mellitus , psicoses, especialmente esquizofrenia . Gravidez e período de amamentação. O uso em crianças abaixo de 12 anos de idade, não é recomendado.

Advertências

Devido aos problemas relacionados a este medicamento, o médico deve obedecer os seguintes critérios de boa prática ao prescrevê-lo: ·· usá-lo de maneira restritiva, isto é, somente se justificado a partir da avaliação da relação risco/benefício; · devem ser considerados tratamentos alternativos; · discutir e obter consentimento do paciente, após explicar os efeitos secundários do mazindol, acentuando a possibilidade de ocorrência de dependência; · orientar o paciente quando usar e quando não usar a droga; · informar sobre os inconvenientes de doses excessivas, uso indicado e obedecer as contra-indicações; · o tratamento não deve exceder 12 semanas. A posologia deve ser diminuída gradativamente.

Uso na gravidez

Gravidez: Experimentos realizados em animais sugerem um potencial teratogênico em doses elevadas, portanto o uso de mazindol não é recomendado durante a gravidez. Lactação: Não se sabe se o mazindol é excretado no leite materno, portanto, seu uso não é recomendado no período de amamentação.

Interações medicamentosas

Pacientes que não toleram outros simpaticomiméticos (por exemplo: anfetaminas, efedrina, epinefrina, isoprenalina, norepinefrina, fenilefrina, fenilpropanolamina, pseudoefedrina, terbutalina), podem igualmente não tolerar este medicamento. Anti-hipertensivos especialmente clonidina, guanadrel, guanetidina, metildopa ou alcalóides da rauwolfia: quando são utilizados simultaneamente com anoréxicos podem diminuir os efeitos hipotensores, devido ao deslocamento e a inibição da captação pelos neurônios adrenérgicos. Anestésicos orgânicos (hidrocarbonados) por inalação, especialmente o halotano: o uso crônico de anoréxicos antes da anestesia pode provocar arritmias cardíacas, já que os anestésicos sensibilizam o miocárdio aos efeitos dos simpaticomiméticos. Hipoglicemiantes orais e/ou insulina : quando se utilizam anoréxicos simultaneamente com um regime dietético no tratamento da obesidade , em pacientes com diabetes mellitus , podem ser alteradas as concentrações de glicose no sangue. Ajustes posológicos do hipoglicemiante durante e após o tratamento simultâneo podem ser necessários. Outros medicamentos estimulantes do sistema nervoso central e hormônios tireoidianos: o uso simultâneo pode aumentar o efeito de estimulação sobre o SNC, tanto destes medicamentos como o do anorexígeno. Inibidores da monoamino-oxidase (IMAO), incluindo a furazolidona, pargilina e procarbazina: o uso simultâneo pode potencializar os efeitos simpaticomiméticos dos anorexígenos, ocasionando possivelmente, crises hipertensivas; não se deve administrar anorexígenos durante ou nos 14 dias que se seguem à administração dos inibidores da MAO. Fenotiazinas, especialmente clorpromazina: o uso simultâneo pode antagonizar os efeitos anorexígenos dos supressores de apetite. Vasopressores: podem ter seus efeitos potencializados quando são utilizados simultaneamente com mazindol. Caso seja necessário administrar uma amina pressora a um paciente que tenha recebido recentemente mazindol, recomenda-se iniciar a terapia pressora em doses reduzidas e monitorizar a pressão arterial em intervalos freqüentes.

Reações adversas / Efeitos colaterais

As seguintes reações adversas requerem atenção médica: Incidência rara: Confusão ou depressão mental; erupções cutâneas ou urticárias (reações alérgicas). Requerem atenção médica somente se persistirem: Incidência mais freqüente: secura na boca; taquicardia ; nervosismo ou inquietude; insônia. Incidência menos freqüente: Diarréia ; enjôo ou sensação de enjôo; sonolência; cefaléia ; aumento da sudorese; náuseas ou vômitos; palpitações; cãimbras ou dores estomacais; paladar desagradável. Incidência rara: visão borrada; alterações na libido; diminuição na capacidade sexual; micção dificultada ou dolorosa; cansaço ou debilidade não habitual.

Posologia

A posologia deve ser individualizada para obter a resposta adequada com a dose mínima eficaz. A dose usual é de 1 comprimido, três vezes ao dia, uma hora antes das refeições ou 2 comprimidos, uma vez ao dia, uma hora antes do almoço. Para determinar a menor dose efetiva, a terapia com mazindol pode ser iniciada com 1 mg uma vez ao dia e ajustada conforme a necessidade e resposta do paciente. Se ocorrer desconforto gastrointestinal, Absten s deve ser administrado junto com as refeições. A última dose regular diária deve ser ingerida 4 a 6 horas antes de dormir.

Superdosagem

Não existem relatos de casos de superdose aguda com o mazindol. As manifestações de superdose aguda com anorexígenos anfetamínicos incluem agitação, tremor, respiração rápida, tontura. Fadiga e depressão podem ocorrer na fase estimulatória da superdose. Os efeitos cardiovasculares, incluem taquicardia , hipertensão e colapso circulatório. Sintomas gatrointestinais incluem náusea, vômitos e espasmos abdominais. Como não existe um antídoto específico para a sobredose de anorexígenos, o tratamento é sintomático e de manutenção. É essencial a indução de vômito e/ou lavagem gástrica. A acidificação da urina e diurese forçada somente são recomendadas se o paciente não apresentar melhora com outras medidas. Outros procedimentos a serem seguidos: - às vezes se utilizam sedantes barbitúricos ou clorpromazina para o controle da estimulação excessiva do SNC; - monitoração das funções cardiovascular e respiratória; - administração de líquidos intravenosos para o controle da hipotensão; - fentolamina intravenosa ou nitritos para controlar a hipertensão; - lidocaína intravenosa para as arritmias cardíacas; - betabloqueadores para o controle da taquicardia ; - respirador mecânico, quando necessário; - proteger o paciente de autolesão por meio de ataduras, se necessário.

Informações

O mecanismo de ação dos anorexígenos não está completamente estabelecido. Acredita-se que possam produzir seu principal efeito sobre o centro de controle do apetite no hipotálamo e diminuir a fome mediante a alteração do controle químico da transmissão do impulso nervoso. O mazindol parece também inibir a captação neuronal de norepinefrina e dopamina liberadas nas sinapses. Não ficou estabelecido que a ação dos anorexígenos no tratamento da obesidade seja principalmente a supressão do apetite. Outras ações sobre o sistema nervoso central ou efeitos metabólicos podem estar envolvidos na ação anorexígena destes medicamentos. Absten s é facilmente absorvido pelo trato gastrointestinal, metabolizado pelo fígado e excretado através da urina e fezes. A meia-vida do mazindol em indivíduos normais é de 10 horas.

os na ação anorexígena destes medicamentos. Absten s é facilmente absorvido pelo trato gastrointestinal, metabolizado pelo fígado e excretado através da urina e fezes. A meia-vida do mazindol em indivíduos normais é de 10 horas.