Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Pharmacia

Apresentação

compr. 400 mg cx. c/ 1, 3 ou 7 un.

Indicações

Lomefloxacina é um antimicrobiano bactericida de largo espectro, indicado no tratamento das infecções causadas por bactérias susceptíveis, com ação no trato urinário inclusive pielonefrite, no aparelho respiratório, trato gastrintestinal, pele e tecido celular subcutâneo e ossos. Além disso está indicado em algumas infecções sexualmente transmitidas, como blenorragia. Deverão ser realizadas culturas apropriadas e testes de sensibilidade para determinar o agente causal e sua sensibilidade à lomefloxacina; contudo, a terapia pode ser iniciada enquanto se aguarda os resultados destas avaliações. Profilaxia: Lomefloxacina está indicada no pré-operatório para prevenir infecções pós-operatórias do trato urinário em pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos transuretrais e biópsia da próstata transretal.

Contra-indicações

Pacientes com história de hipersensibilidade à lomefloxacina ou às outras quinolonas.

Reações adversas / Efeitos colaterais

Em ensaios clínicos concluídos, 6.392 pacientes e indivíduos receberam pelo menos uma dose de lomefloxacina. A maioria das reações adversas foram leves a moderadas em severidade e geralmente transitórias não obrigando na maioria dos casos a suspender a medicação. As reações adversas mais frequentes (independente da relação com a lomefloxacina), foram cefaléia, náusea, fotossensibilidade, tontura , diarréia e dor abdominal. A incidência de cada um destes efeitos adversos foi < 5%. Outros efeitos adversos relatados de estudos feitos com as quinolonas, incluindo lomefloxacina são: pele e apêndices : dermatite esfoliativa, hiperpigmentação, síndrome de stevens-johnson, necrólise epidérmica tóxica. Corpo : reações alérgicas incluindo anafilaxia e angioedema. Sistema nervoso : ataxia, convulsões, tremores. Sistema gastrintestinal : mucosa oral dolorida, colite pseudomembranosa. Distúrbios psiquíatricos : alucinações, ansiedade, alterações no sono, alterações de humor. Distúrbios sist. Respiratório : edema da laringe, edema pulmonar. Distúrbios vasculares : vasculites. Distúrbios metabólicos e nutricionais : hipoglicemia. Distúrbios visuais : fotofobia, diplopia. Distúrbios músculo-esqueléticos : tendinite, ruptura no tendão, artralgia, mialgia. Distúrbios sistema urinário : nefrite intersticial, poliúria, insuficiência renal, retenção urinária. Distúrbios do sangue ou de seus constituintes : trombose cerebral, trombocitopenia. Distúrbios hepático e do sistema biliar : hepatite. Distúrbios das células vermelhas : anemia hemolítica. Distúrbios cardiovasculares : parada cardiopulmonar. Outros distúrbios : disgeusia.

Posologia

A posologia ideal para o adulto é a ingestão de 1 comprimido de 400 mg, uma vez ao dia com ou sem alimento. A duração do tratamento depende da gravidade da infecção. A lomefloxacina é recomendada nas doses e para durações de tratamento relacionadas a seguir : DOENÇA DOSAGEM DURAÇÃO DO TRATAMENTO Infecções não complicadas do trato urinário 400 mg uma vez ao dia 3 dias Infecções complicadas do trato urinário 400 mg uma vez ao dia 10-14 dias Infecções da pele e tecido subcutâneo 400 mg uma vez ao dia 10-14 dias Exacerbação aguda de bronquite crônica 400 mg uma vez ao dia 7-10 dias Osteomielite 400 mg uma vez ao dia 60-90 dias Blenorragia 400 mg uma vez ao dia 1 ou 2 dias Profilaxia de infecção no trato urinário após cirurgia transuretral ou biópsia de próstata transretal 400 mg dose única 2-6 horas antes da cirurgia Em geral, a lomefloxacina deve ser continuada por no mínimo 2 dias após o desaparecimento dos sintomas ou sinais de infecção. . O risco de reações de fotossensibilidade aos raios UV pode ser reduzido pela administração da lomefloxacina à noite. Comprometimento da função renal A lomefloxacina pode ser usada em pacientes com insuficiência renal. Uma vez que a lomefloxacina é excretada fundamentalmente pelo rim, alguma modificação da dose é recomendada para pacientes com insuficiência renal severa. Quando o clearance de creatinina for < 30 mL/min/1,73m2, a posologia recomendada será uma dose de ataque de 400 mg seguida por uma dose de manutenção de 200 mg uma vez ao dia (1/2 comprimido) durante o período do tratamento. Sugere-se determinação seriada dos níveis de lomefloxacina para avaliar a necessidade de alteração dos intervalos de dose. Quando somente o nível de creatinina sérica for disponível, a seguinte fórmula (baseada no sexo, peso e idade do paciente) pode ser usada para converter este valor em clearance- de creatinina (CLcr mL/min). A equação presume que a função renal do paciente já esteja estável.

Informações

Lomefloxacina é um novo antimicrobiano quinolônico difluorado, de largo espectro, quimicamente descrito como: monocloridrato do ácido 1-etil-6,8-difluor-1,4-dihidro-7-(3-metil-1-piperazinil)-4-oxo-3-quinolinocarboxílico. Os átomos de flúor proporcionam aumento da potência contra organismos Gram-negativos e o radical piperazina é responsável pela atividade em Pseudomonas. A ação bactericida resulta da interferência na atividade da enzima bacteriana DNA-girase, necessária para transcrição e replicação do DNA da bactéria. Consequentemente ocorre inibição do superespiralamento do DNA dependente de ATP, inibição do relaxamento do DNA superespiralado e quebra da dupla haste do DNA. A concentração bactericida mínima geralmente não excede a concentração inibitória mínima em mais que o dobro. Há resistência cruzada entre a lomefloxacina e outros agentes antimicrobianos da classe das quinolonas, mas não há nenhuma resistência cruzada com outras classes de antimicrobianos. A mínima dose de luz UVA necessária para causar eritema é inversamente proporcional à concentração plasmática de lomefloxacina. Aumentando o intervalo entre a dosagem de lomefloxacina e exposição aos raios UVA aumenta a quantidade de energia luminosa necessária para causar fotoreação.

ina. Aumentando o intervalo entre a dosagem de lomefloxacina e exposição aos raios UVA aumenta a quantidade de energia luminosa necessária para causar fotoreação.