Bulas de Remédios

As bulas constantes no ER Clinic são meramente informativas. Em caso de dúvidas quanto ao conteúdo de algum medicamento, procure orientação de seu médico ou farmacêutico.

Laboratório

Roche

Apresentação

ATENÇÃO: MEDICAMENTO DESCONTINUADO.

cx. c/ 30 compr. de 3 mg.

Indicações

Profilaxia e tratamento de tromboses, embolias e infarto do miocárdio.

Contra-indicações

Marcoumar (Femprocumona) não deve ser utilizado em pacientes com diátese hemorrágica, lesões graves do parênquima hepático, insuficiência renal, úlcera gastrointestinal, endocardite sub-aguda, aumento da fragilidade vascular (por exemplo, arteriosclerose avançada ou hipertensão grave), ou após intervenções neurocirúrgicas.

Angiografia não deve ser realizada em pacientes tratados com anticoagulantes.

As hemorragias menstruais não constituem contra-indicação para o uso (Femprocumona).

Advertências

Pacientes submetidos à ressecção pulmonar, cirurgias ginecológicas, gástricas ou de ductos biliares, assim como portadores de insuficiência cardíaca congestiva, arteriosclerose, hipertensão e disfunção hepática leve devem ser monitorizados com mais freqüência.
Gestação e lactação
Gestação categoria X: este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.
Em mulheres que estejam amamentando, o componente ativo passa para o leite materno, porém em tão pequenas quantidades que há pouco risco de reações adversas para o recém-nascido. Porém, como precaução, recomenda-se como profilaxia a administração semanal de 1 mg de vitamina K1.
Marcoumar (femprocumona), como outros cumarínicos, pode estar associado a malformações congênitas. Portanto, não deve ser usado durante a gravidez e lactação. Pacientes em idade fértil, tratadas com Marcoumar (femprocumona), devem realizar métodos anticoncepcionais até 3 meses após a última dose.

Uso na gravidez

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento
Em mulheres que estejam amamentando, o componente ativo passa para o leite materno, porém em tão pequenas quantidades que há pouco risco de reações adversas para o recém-nascido.

Interações medicamentosas

Femprocumona é metabolizado principalmente pelo CYP450 2C9 e isoenzimas 3A4
Medicamentos comumente prescritos podem potencializar ou antagonizar o efeito dos cumarínicos. Portanto, é importante a monitoração dos parâmetros da coagulação após o início ou retirada de outras drogas em pacientes em uso de anticoagulantes orais.
Substâncias que podem intensificar o efeito dos anticoagulantes orais: alopurinol, amiodarona, esteróides anabólicos, fibratos, dissulfiram, drogas anti-inflamatórias (salicilatos e alguns anti-inflamatórios não hormonais, incluindo inibidores da COX-2), tamoxifeno, drogas tireoideanas, antidepressivos tricíclicos, e alguns antimicrobianos (várias cefalosporinas, cloranfenicol, cloxacilina, sulfonamidas, derivados da eritromicina e derivados triazólicos e imidazólicos).
Substâncias que podem reduzir o efeito dos anticoagulantes: barbitúricos, carbamazepina, colestiramina, diuréticos, corticosteróides, rifampicina, vitamina K.
Redução no efeito e concentração do plasma foi relatada durante o tratamento com St. John´s Wort (Erva de São João - extrato Hypericum perforatum). Isto pode ser devido à indução das insoenzimas do citocromo P450. Em pacientes recebendo anticoagulantes orais, o tempo de protrombina deve ser monitorado, rigorosamente, do início ao fim do tratamento com a Erva de São João.
O efeito do álcool é variável sobre Marcoumar (femprocumona). Alcoólatras crônicos podem experimentar redução do efeito anticoagulante, apesar deste estar aumentado na presença de doença hepática. A ingestão aguda pode aumentar o efeito anticoagulante.
Anticoncepcionais contendo estrogênios e progesterona podem aumentar o clearance de femprocumona sem alterar o seu efeito anticoagulante.
Marcoumar (femprocumona) pode intensificar o efeito de sulfoniluréias quando usadas concomitantemente (havendo risco de hipoglicemia).

Reações adversas / Efeitos colaterais

Deve-se evitar a administração de injeções intramusculares durante o tratamento anticoagulante, devido ao risco de hemorragia e hematoma. Esta complicação ocorre raramente após injeções subcutâneas, e não há risco após administração venosa. Pacientes tratados ambulatorialmente com Marcoumar (Femprocumona) devem levar consigo, como precaução, vitamina K1 e instruções sobre como usar, assim como uma declaração médica informando que o paciente encontra-se sob tratamento anticoagulante.

No caso da utilização concomitante de salicilatos ou antibióticos, são necessários controles mais freqüentes dos parâmetros da coagulação sangüínea.
Necrose cutânea (geralmente infarto cutâneo) pode ocorrer no início do tratamento com anticoagulantes. Neste caso, deve-se suspender Marcoumar (Femprocumona), administrar vitamina K1, e substituir o tratamento por heparina. Pode-se administrar também prednisona.

Reações alérgicas cutâneas podem ocorrer durante o tratamento com Marcoumar (Femprocumona).

Intolerância gastrintestinal é rara. Marcoumar (Femprocumona), assim como outros derivados cumarínicos, pode causar, raramente, alopecia temporária.

Hepatite induzida por cumarínicos, com ou sem icterícia, pode ocorrer, sendo geralmente reversível após a descontinuação (Femprocumona). Apesar da incidência de hepatite ser extremamente rara, deve-se monitorar as funções hepáticas em pacientes sob uso prolongado (Femprocumona).

Existe a possibilidade de sangramento em diversos órgãos e especialmente hemorragias com risco de vida envolvendo o sistema nervoso central e sistema gastrintestinal.

Osteopenia tem sido relatada durante o tratamento prolongado com Marcoumar (Femprocumona).

Posologia

O tratamento com Marcoumar (Femprocumona) deve ser monitorado através do tempo de tromboplastina ou outro teste adequado, tal como um método que utiliza substratos cromógenos. A primeira determinação deve ser realizada antes do início do tratamento com Marcoumar (Femprocumona).

Valor de Quick


Dose


Dose


Total

(antes do tratamento)


1º dia


2º dia


dois primeiros dias

80 -100%


5 comp.


3 comp.


8 comp.

70%


4 comp.


2 comp.


7 comp.

60%


4 comp.


2 comp.


6 comp.

< 60%


realizar testes de função hepática



No terceiro dia, uma nova determinação é necessária, devendo-se adaptar a posologia de acordo com o resultado. Em geral, o valor de Quick deve ser abaixo de 15 a 25% do valor normal (INR: 2,5-5,0) e, se houver risco elevado de hemorragia, 20-30% (INR: 1,5-2,5).

O tratamento de manutenção requer doses mais baixas (Femprocumona), ou seja, 1/2 a 2 comprimidos por dia. A resposta ao tratamento é variável em cada paciente, sendo necessária a monitoração contínua dos parâmetros de coagulação, estabelecendo, assim, a dose adequada para cada paciente.

Os comprimidos devem ser ingeridos com líquido, sem mastigá-los ou dissolvê-los previamente.

Orientações posológicas especiais

Profilaxia: Para a maioria dos pacientes com risco de tromboses, três a quatro semanas de profilaxia com Marcoumar (Femprocumona) está indicada. O tratamento anticoagulante deve ser realizado pelo menos até que a mobilização do paciente seja satisfatória. A interrupção prematura do tratamento aumenta o risco de trombose. Marcoumar (Femprocumona) deve ser administrado à partir do segundo ou terceiro dia após intervenção cirúrgica ou parto.

Tratamento: No caso de trombose aguda ou embolia, o tratamento anticoagulante deve ser iniciado com administração intravenosa de heparina (Liquemine, por exemplo). Uma vez superada a fase aguda, isto é, no mínimo após dois dias (dez dias ou mais nos casos graves), o tratamento pode ser continuado com Marcoumar (Femprocumona). No primeiro dia da fase de transição, administra-se a dose inicial completa (Femprocumona) além da dose habitual de heparina. Esta não apresenta ação prolongada e o efeito anticoagulante (Femprocumona) só se manifesta após um período de latência. Durante esta fase de transição, é necessário o controle rigoroso dos parâmetros da coagulação. A duração do tratamento com heparina depende do tempo necessário para a obtenção do grau desejado de anticoagulação. A duração do tratamento com Marcoumar (Femprocumona) depende das necessidades clínicas; o tratamento pode se estender por vários meses e, às vezes, por alguns anos.

Superdosagem

Ver o item Posologia.

Informações

Marcoumar (Femprocumona) inibe a coagulação sangüínea de forma específica, antagonizando a vitamina K nos sistemas enzimáticos que atuam no fígado durante a formação de vários fatores de coagulação (fator II = protrombina, fatores VII, IX e X). Marcoumar (Femprocumona) pode ser considerado como um antagonista da vitamina K. O efeito anticoagulante (Femprocumona), diferentemente da heparina, não é imediato. Este efeito não é observado in vitro. O início de ação ocorre após um a dois dias, e a eficácia plena é observada após quatro a seis dias de tratamento. O aumento da dose (Femprocumona) não reduz este tempo de latência.

A ação (Femprocumona) sobre a coagulação é controlada através da determinação do tempo de tromboplastina ou com métodos derivados desta determinação. Os tempos de coagulação obtidos podem ser convertidos em valores de Quick, taxas de protrombina ou, de preferência, em valores INR.

A ação prolongada e regular do Marcoumar (Femprocumona) é obtida com doses muito baixas e desaparece progressivamente. Devido à sua ação específica, exercida exclusivamente sobre os sistemas enzimáticos dependentes da vitamina K, Marcoumar (Femprocumona) não apresenta efeitos tóxicos sobre o fígado. Por essa razão, este produto está particularmente indicado nos tratamentos de longa duração (meses ou anos).

Kanakion(Fitomenadiona) (produzido à base de vitamina K1) é usado para anular o efeito anticoagulante (Femprocumona).

com doses muito baixas e desaparece progressivamente. Devido à sua ação específica, exercida exclusivamente sobre os sistemas enzimáticos dependentes da vitamina K, Marcoumar (Femprocumona) não apresenta efeitos tóxicos sobre o fígado. Por essa razão, este produto está particularmente indicado nos tratamentos de longa duração (meses ou anos).

Kanakion(Fitomenadiona) (produzido à base de vitamina K1) é usado para anular o efeito anticoagulante de Marcoumar (Femprocumona).